Petebistas reunidos em Cuiabá (MT) dão boas-vindas a Luiz Antonio Pagot

PTB Notícias 30/04/2013, 9:03


O presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro, Benito Gama, chancelou a ficha de filiação do ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) Luiz Antonio Pagot, ex-Partido da República (PR).

A cerimônia, realizada na noite desta segunda-feira (29/4/2013), em Cuiabá (MT), e que reuniu mais de 200 pessoas em um hotel da capital mato-grossense, contou com a presença do Primeiro-tesoureiro da Executiva Nacional do PTB, Luiz Rondon, e do secretário de Mobilização Nacional do partido, Anderson Xavier.

Na ocasião, 550 pessoas também ingressaram às fileiras da legenda Trabalhista.

Participaram também do evento o presidente do PTB de Mato Grosso e ex-prefeito de Cuiabá, Chico Galindo, o presidente do PTB de Cuiabá, Carlos Haddad, o ex-senador Osvaldo Sobrinho (PTB), o deputado estadual Luiz Marinho (PTB), o presidente da Fundação Instituto Getúlio Vargas (FIGV) e presidente do PTB de Mato Grosso do Sul, Ivan Louzada, prefeitos, vereadores e lideranças estaduais e municipais do partido e de outras agremiações, e a ex-senadora Serys Slhessarenko.

Em seu pronunciamento, o presidente Benito Gama deu boas-vindas a Luiz Antonio Pagot, e ressaltou que o PTB conta com a experiência administrativa e gerencial dele para fortalecer o partido em Mato Grosso e no Brasil.

De acordo com o líder do PTB, Pagot e as lideranças que vêm com ele, ao lado dos demais correligionários no Estado, contribuirão para organizar e estruturar o partido para o certame eleitoral daqui a dois anos.

“Com uma admissão de um grupo forte como esse o partido se credencia a lançar candidato a deputado federal, a estadual, e até na majoritária, com senador e governador.

E o PTB está forte em Mato Grosso, e o partido está no Brasil buscado uma eleição de 40 deputados federais e seis senadores, é esse nosso objetivo.

E em Mato Grosso começamos muito bem, e não tenho dúvidas que vamos fazer um trabalho importante num estado tão promissor que é Mato Grosso”, disse Benito.

O presidente nacional destacou ainda o legado construído e deixado pelo ex-presidente da República Getúlio Vargas para o país e para o partido, do qual é fundador, e frisou a necessidade de o PTB construir diariamente uma sigla forte, com ideias, programas e projetos, para que tenha um futuro promissor e, consequentemente, ajude no desenvolvimento do Brasil.

E, segundo Benito Gama, essa construção se faz a partir do ingresso dos “melhores quadros”, e, também, investir, incentivar e apoiar os movimentos PTB Mulher e Juventude do PTB – grupos que ajudam na construção do futuro partidário.

“Assim, juntos, vamos construindo o partido e consolidando-o”, frisou.

“E vejo aqui que as pessoas estão entusiasmadas para trabalhar por Mato Grosso e pelo Brasil, para carregar essa bandeira do PTB e buscar melhorias para o país.

E eu saio daqui [do estado] revigorado.

Vou dizer aos nossos companheiros do Congresso Nacional [deputados e senadores] da força e, sobretudo, do entusiasmo que eu vi da participação do povo de Mato Grosso, com todos, sobretudo com a liderança de Chico Galindo e de Pagot.

E nós vamos trabalhar juntos para construirmos um partido forte e um Brasil forte”, afirmou.

O presidente estadual do PTB, Chico Galindo, corroborou que o ingresso de Luiz Antonio Pagot fará com que o partido se torne “mais forte” e o deixe mais consolidado.

“O Pagot só irá somar.

Temos certeza que o trabalho que fará conosco nos ajudará a fortalecer e expandir a representatividade do partido além de Mato Grosso”, disse Galindo.

O ex-prefeito de Cuiabá espera que Pagot seja um “operário” em prol do planejamento estratégico do PTB, tendo em vista a bagagem dele como gestor a nível nacional e estadual, “um aprendizado que ajudará no trabalho a ser desenvolvido pelo partido”.

Em sua fala, Luiz Antonio Pagot relatou os motivos do seu retorno ao PTB.

Um dos, segundo ele, foi por suas tradições de família [o pai e o avó eram do PTB] e, segundo, pelos convites que recebeu dos presidentes Chico Galindo e Benito Gama.

Outro motivo que resultou em seu “retorno ao lar” foi pela avaliação que fez do PTB no estado, que, diz o petebista, é desafiador, porque “é um partido que precisa crescer, e que está a caminho da estruturação”.

“Em outros partidos fiz esse trabalho de ajudar, compartilhar, e no PTB pretendo fazer o mesmo, de poder construir”, ressaltou.

“E o PTB é um partido que num primeiro momento vamos trabalhar com o fortalecimento.

Agora é a hora da construção.

Depois dessa fase vem o segundo momento, que é a hora da organização já para a disputa das eleições, o arco de alianças, a formação desse arco, quer dizer, quem está comungando conosco com ideias e ideais, é nesse sentido que queremos trabalhar no PTB.

“Ao final do evento, o presidente nacional do PTB, Benito Gama, mencionou que conversou horas antes com o presidente licenciado, Roberto Jefferson.

De acordo com Benito, Jefferson falou a respeito de poder compartilhar a alegria de Pagot ter ingressado ao PTB, e que “gostaria muito de estar presente”, mas, por razões pessoais, não pode comparecer ao ato de filiação.

“Ele [Roberto Jefferson] queria lhe dar um abraço, assinar sua ficha de filiação, enfim, porque não é qualquer partido que pode receber um filiado na qualidade de Luiz Antonio Pagot.

O PTB se sente muito honrado com isso.

O partido que tem uma grande história recebe hoje também um grande filiado que tem uma grande história em todo o Brasil”, concluiu.

Agência Trabalhista de Notícias, por Felipe MenezesFoto: Felipe Menezes