Pietroski comemora sinal positivo da União aos esforços de Yeda

PTB Notícias 9/05/2007, 8:37


O líder da bancada do PTB na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, Iradir Pietroski, destacou durante a sessão plenária nesta terça-feira (8) o primeiro aceno favorável do governo federal aos esforços do Estado, e apoiou as providências da governadora Yeda Crusius no sentido de impedir a evasão das empresas de celulose que pretendem investir R$ 4 bilhões no Estado.

Segundo ele, a governadora acabou de receber um sinal verde do ministro da Fazenda, Guido Mantega, para seu pleito de renegociar junto ao Banco Mundial o acordo da dívida pública.

Além desta boa nova, o deputado petebista afirmou que o governo gaúcho recebeu um sinal positivo também para a sua histórica demanda de ressarcimento de créditos por conta da Lei Kandir.

“A semana inicia com boas perspectivas e talvez com o primeiro aceno aos esforços governamentais, justamente no sentido de permitir que o Estado deixe a situação de gargalo em que se encontra na área das finanças públicas”, declarou Pietroski.

Segundo Pietroski, o Rio Grande do Sul é o quarto maior estado exportador do país e vinha sendo penalizado, mas, com a liberação do governo, receberá da União cerca de R$ 79 milhões em nove parcelas.

“Como disse a governadora, é uma sinalização de que estamos no caminho correto de, ao mesmo tempo em que buscamos uma nova fórmula de pagamento, procedemos também os necessários e indispensáveis ajustes internos”, salientou o parlamentar.

O deputado petebista falou que a aprovação do governo federal somente se concretizou porque houve um comprometimento em cumprir uma série de metas de ajuste, que incluem o aumento de receitas, a redução de gastos e a modernização da gestão pública.

“Aqui, portanto, nosso reconhecimento e a nossa saudação ao presidente Lula e nossos cumprimentos à governadora Yeda Crusius por sua perseverança e confiança de apostar no caminho escolhido”, ressaltou ele.

Porém, o líder da bancada petebista disse que é apenas o começo.

Pietroski afirmou que autoridades deverão ir à Brasília para dar continuidade aos entendimentos, mas agora com o Banco Mundial.

“O objetivo do Piratini é de conseguir um financiamento internacional de pelo menos US$ 500 milhões (cerca de R$ 1 bilhão) para refinanciar parte da dívida total do Estado, de R$ 33 bilhões.

Com estes recursos, será possível diminuir o ritmo de pagamento mensal e aliviar o sufoco de caixa ao garantir até R$ 250 milhões a mais por ano”, explicou o deputado.

Conforme o parlamentar, na edição do último domingo (6) do jornal Correio do Povo, o secretário da Fazenda, Aod Cunha, deu uma notícia alvissareira: o déficit do Estado, previsto inicialmente em R$ 2 bilhões, poderá ser reduzido à metade com as medidas de redução de custeio da máquina e cobrança da dívida ativa.

“Ora, é uma evolução de 50% em relação à previsão original”, concluiu ele.

fonte: site do PTB – RS