Piracicaba comemora o Dia da Lembrança, instituído por lei de petebista

PTB Notícias 17/04/2009, 15:12


Piracicaba comemora neste sábado (18/04), o Dia da Lembrança, instituído pela lei nº 6313 de 2008, de autoria do vereador petebista João Manoel, para que “os atos desumanos praticados no Holocausto não sejam esquecidos pela sociedade”.

O representante da comunidade judaica em Piracicaba, Jaime Rosenthal, explica que a criação da lei atende resolução das Nações Unidas, de 2007, que sugere que em todo o mundo, as escolas, entidades sociais, filantrópicas e assistenciais e outras instituições divulguem o que foi o Holocausto, o maior genocídio da história.

Durante a sessão comemorativa ao Dia da Lembrança, neste sábado, na Câmara de Vereadores, a partir das 10 horas, será exibido o filme “Holocausto, nunca mais”, que enfoca a ascensão e queda de Hitler.

Arie Yaai, judeu sobrevivente do Holocausto, prestará depoimento sobre os horrores que sofreu e presenciou em 11 campos de concentração.

A reunião será aberta à comunidade e, principalmente, a representantes de entidades, que receberão uma apostila para divulgação sobre o Holocausto em suas comunidades.

Rosenthal lembra que mais de 11 milhões de pessoas foram assassinadas pelo regime nazista.

Foram seis milhões de judeus e os outros Testemunhas de Jeová, homossexuais, deficientes físicos e negros, porque, segundo Hitler, não pertenciam à raça ariana, ou seja, “a raça que seria supostamente a linhagem ‘mais pura’ dos seres humanos, constituída apenas por indivíduos altos, fortes, claros e inteligentes”, conforme define o biólogo Danilo Vicensotto, da Universidade de São Paulo (USP).

“Hitler precisava de dinheiro para manter a guerra (1939-1945) e decidiu confiscar os bens de todos os judeus, tirando os seus pertences e prometendo a eles campos de trabalho e o retorno futuro as suas casas.

Mas, eles foram para o trabalho forçado, sem alimentação, em campos de concentração onde morriam por infecção, eram usados em experiências médicas com a extração de órgãos sem anestesia, as crianças eram separadas dos pais e milhões assassinados em câmaras de gás e fornos crematórios, muitos enterrados vivos em valas comuns”, conta Rosenthal.

LEMBRANÇA.

A finalidade da comemoração do Dia Municipal da Lembrança é mostrar, principalmente, aos jovens brasileiros, que não se deixem influenciar por ideologias, sejam elas, nazistas, fascistas ou fundamentalistas e fiquem longe das drogas.

“O papel da lei é claro, mostrar o que aconteceu de ruim para que nunca aconteça mais.

Foi o maior crime contra a etnia judaica, extermínio que envolveu crianças, jovens, adultos e crianças, que moravam na Alemanha, Polônia e Áustria”, explica Jayme Rosenthal.

Após muitos anos do massacre, a Alemanha passou a indenizar sobreviventes do Holocausto, como forma de reconhecimento do horror contra seres humanos.

O vereador João Manoel dos Santos diz na justificativa da criação da lei do Dia da Lembrança que “o objetivo é o de mobilizar o poder público e conscientizar a sociedade sobre a importância da defesa da vida e do combate à intolerância”.

É preciso fomentar essa discussão, manter viva na memória do povo, divulgar para que jamais os horrores do Holocauto sejam esquecidos, afirma o vereador.

DOAÇÃO.

A reunião é aberta ao público, mas os organizadores solicitam a doação de um pacote de frauda infantil dos presentes.

A arrecadação será destinada à Casa do Bom Menino.

(JC)SERVIÇODia Municipal da LembrançaDia 18 de abril, na Câmara de Vereadores, às 10 horasDoação: solicita-se a doação de um pacote de frauda infantil na entradaAgência Trabalhista de Notícias