Prefeita Angela Mercer oficializa parceria com Provopar e Rotary Clube

PTB Notícias 12/01/2015, 7:13


Foi oficializada na manhã da última sexta-feira (9/1), a parceria entre Prefeitura de Tibagi (PR), Provopar e Rotary Clube, firmada em agosto passado para reativar a vaca mecânica no município.

Em encontro no Palácio do Diamante, a prefeita Angela Mercer de Mello (PTB) esteve com o presidente do Rotary Clube Tibagi Guartelá, Daniel Antunes Ribeiro e demais membros da entidade, assim como recém-indicada presidente do Provopar Tibagi, Tereza de Geus e a secretária da Criança e Assistência Social, Maria Isabel do Valle Gomes.

O município recebeu a confirmação do investimento do Rotary Clube, através do distrito 4730, de R$ 6.

196,00, que com a contrapartida do Provopar vai viabilizar a produção de alimentos de soja para atender as escolas municipais e entidades locais.

No total, serão investidos cerca de R$ 11 mil na aquisição dos equipamentos.

“Tenho certeza de que ao instalar esta vaca mecânica estamos devolvendo ao nosso município uma forma simples de produzir alimentos, que serão de grande valia para nossa comunidade.

Agradeço ao Rotary Clube e ao Provopar pela parceria, e tenho certeza que será uma grande iniciativa”, enfatizou a prefeita Angela Mercer de Mello.

O próximo passo é a aquisição dos equipamentos, e a Prefeitura de Tibagi vai adequar o antigo espaço, próximo ao Centro de Informações Turísticas, para a instalação da vaca mecânica, mesmo imóvel onde funcionava em 1986, quando foi originalmente inaugurada.

“É uma alegria para o Rotary Clube Tibagi Guartelá, através do distrito 4730, participar da reabertura da vaca mecânica em Tibagi, e poder contribuir com a alimentação da população atendida nas entidades tibagianas e dos alunos da rede municipal”, ressaltou o presidente do Rotary Clube Tibagi Guartelá, Daniel Antunes Ribeiro.

Pioneira na região dos Campos Gerais, a vaca mecânica de Tibagi foi criada em 1986, seguindo o modelo criado por pesquisador da Embrapa na década de 70.

Seu funcionamento foi interrompido há alguns anos, e os equipamentos se deterioraram, sendo necessária a aquisição de novas máquinas.

“Na época, inauguramos a primeira vaca mecânica da região, e muitas prefeituras vieram conhecer a estrutura para montar uma unidade similar.

É gratificante ver que poderemos novamente contar com este benefício para atender as escolas e entidades”, ressaltou o ex-prefeito José Tibagy de Mello, presente na reunião.

Com apenas um quilo de soja é possível produzir 10 litros de leite ou suco, e o resíduo é a farinha de soja, que pode ser utilizada na panificação.

Vaca MecânicaEm 1977, o professor Roberto Hermínio Moretti, da Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) da Unicamp, começou a estudar, a pedido da então primeira-dama de Mato Grosso, uma maneira de extrair leite de soja.

Até ali, a mulher do governador e algumas amigas utilizavam prosaicos liquidificadores para produzir a bebida, utilizada para incrementar a alimentação de crianças carentes do Estado.

Depois de alguns meses de muitos estudos e testes, o pesquisador finalmente concebeu um equipamento capaz de processar até 200 litros de leite por hora.

Passados dois anos, a tecnologia foi adotada pelo então prefeito de Campinas, Francisco Amaral, que a chamou de “Vaca Mecânica”.

O invento, bem como o seu apelido, ganhou o mundo e provou a possibilidade de produzir merendas escolares nutritivas a custo acessível.

Atualmente, está presente em inúmeras cidades brasileiras e em vários países, como Cuba e Angola.

Após passar por diversas melhorias, o invento encontra-se hoje em sua terceira geração.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Prefeitura de Tibagi (PR) Foto: Divulgação/Assessoria