Prefeita de Fortim fala sobre a mulher na política e os planos para 2010

PTB Notícias 12/02/2010, 10:51


Leia abaixo entrevista concedida pela prefeita da cidade de Fortim – CE, Adriana Pinheiro Barbosa (PTB-CE), ao portal do PTB: Portal do PTB – Prefeita Adriana, qual a dificuldade que a senhora encontra, como mulher, para administrar uma prefeitura?Adriana Pinheiro – Encontro preconceito por parte de algumas pessoas que não tem cabeça aberta, não só no município, até porque a cidade de Fortim já tem uma história de mulheres na prefeitura, a principal dificuldade é por ser jovem, principalmente no meio político, entre os outros prefeitos, nos outros municípios.

Portal do PTB – Como a senhora vê a participação da mulher na política brasileira atual? Adriana Pinheiro – A participação da mulher é fundamental, não querendo desmerecer os homens, mas é que nós temos a capacidade de fazer várias atividades ao mesmo tempo, comprovado cientificamente.

Então isso nos dá uma qualidade a mais, pois podemos atuar em várias áreas ao mesmo tempo, comandar várias secretarias, vários órgãos e, além disso, conciliar a vida familiar.

Temos vários exemplos, não só no Brasil, mas internacionalmente onde vemos a atuação da mulher se destacar, não só na política, mas em várias áreas.

Portal do PTB – Quais são suas perspectivas para 2010?Adriana Pinheiro – Nós tivemos no ano passado, um ano muito ruim.

Foi meu primeiro ano de gestão e pegamos o município muito sucateado, mas com muito esforço conseguimos reerguê-lo.

Esse ano, por conta da crise, continuaremos com dificuldades, pelo menos até junho.

As perspectivas financeiras não são boas, mas depois de um ano de economias, conseguiremos manter um patamar normal e dar novos saltos, vôos mais longos, em busca de empreender mais comércio na cidade, desenvolvimento do turismo, já que o município é voltado para o turismo.

E mesmo com essa crise, que nos atingiu e se refletirá até junho, nós não deixamos de fazer o possível e o impossível para manter o básico, todas as estruturas, inclusive poder comemorar o carnaval.

Fonte: Agência Trabalhista de Notícias