Prefeita Kelly Moraes recebe diretor de fábrica e negocia cessão de terren

PTB Notícias 15/01/2009, 15:33


O projeto de ampliação da Germani Alimentos, apresentado em 2006 quando a fábrica se instalou em Santa Cruz do Sul, somente deverá sair do papel se a empresa garantir a cedência de um terreno por parte da Prefeitura.

O assunto, que já foi discutido com o ex-prefeito José Alberto Wenzel, voltou a ser avaliado ontem com a prefeita Kelly Moraes (PTB) e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Jair Jasper.

O diretor da fábrica de massas e biscoitos, Carlos Stédile, veio à cidade cobrar a promessa feita pelo governo passado que envolvia a cedência de uma área para a expansão da empresa.

Foi essa oferta, segundo ele, que influenciou na aquisição dos bens da Füller.

“Até agora não conseguimos o terreno.

Tínhamos inclusive um documento assinado com a oferta”, disse o empresário.

Ele pediu à prefeita que se empenhe para conseguir um local onde poderá ser instalado o centro de distribuição e também uma nova linha de produção.

Atualmente a empresa está usando prédios alugados em Canoas, como depósito.

A intenção da Germani é conseguir um lote situado na BR-471, ao lado da fábrica.

Acontece que essa área vem sendo alvo de polêmicas desde 2007.

Na época Wenzel publicou edital de desapropriação, com o objetivo de garantir a compra.

Os proprietários recorreram no Tribunal de Justiça e conseguiram derrubar o decreto alegando que não teriam interesse em negociar com o município.

Depois de conversar com o empresário, a prefeita Kelly Moraes assegurou que irá tratar pessoalmente do assunto.

Ela se comprometeu em debater a proposta com o Comitê Gestor na próxima segunda-feira e disse que pretende falar com os proprietários a fim de ver a possibilidade de compra.

“Será uma prioridade para nós.

Havia a promessa que não foi cumprida e agora temos que buscar uma forma de incentivar essa empresa”, justificou.

O objetivo é conseguir uma resposta dentro de dez dias.

Stédile ficou otimista com a proposta da prefeita e frisou que poderá gerar pelo menos mais 100 empregos caso consiga um local para as novas instalações.

Ele não revelou quanto pretende aplicar na cidade, mas frisou que já investiu cerca de R$ 7,5 milhões em equipamentos e melhorias.

“A empresa está cumprindo sua parte e esperamos que a Prefeitura colabore”, afirmou.

Atualmente a unidade santa-cruzense conta com cerca de 400 empregados.

PLANO B Mesmo sabendo que a negociação com os proprietários das terras ao lado da indústria devem ser complicadas, a prefeita Kelly diz que vai buscar um entendimento.

Caso isso não seja possível, uma nova alternativa já está sendo avaliada.

No fim do ano passado a então prefeita Helena Hermany adquiriu um lote de seis hectares às margens da RSC–287, em Pinheiral, que foi oferecido como uma segunda opção para a Germani.

Avaliado em R$ 900 mil poderá ser uma opção caso a compra da área próxima à fábrica não se concretize.

Fonte: Gazeta do Sul