Prefeito Aidan Ravin vistoria obras de urbanização em Santo André

PTB Notícias 17/10/2011, 8:00


Dando continuidade ao processo de urbanização de Santo André (SP), o prefeito Aidan Ravin (PTB) vistoriou recentemente as obras no Jardim Cipreste, que continuam em andamento e já beneficiam pelo menos sete mil andreenses.

O complexo, com cerca de 230 mil m², é composto pelos assentamentos precários Jardim Irene I, II, III, IV e V e receberá um total de R$ 65 milhões em investimentos.

“As obras fazem parte do nosso plano de governo e servirão para melhorar a qualidade de vida de mais de cinco mil pessoas, que viverão melhor em Santo André”, afirmou o chefe do Executivo.

Além das obras que estão sendo executadas, serão feitos trabalhos de pavimentação, calçadas, implantação de ruas e vielas, redes de água e esgotamento sanitário, drenagem e contenções de encosta, além de iluminação pública, recuperação ambiental, equipamentos comunitários, regularização fundiária, readequação e requalificação habitacional.

“Uma série de medidas foi tomada para requalificar o bairro e ampliar os serviços no local”, diz.

Junto com as intervenções, serão construídos dois conjuntos habitacionais, com cerca de 200 novas unidades dentro da área, construção de um tanque de retenção, uma unidade de saúde e cerca de outras 440 unidades habitacionais a serem construídas externamente, através do programa “Minha Casa, Minha Vida”.

Do investimento total, R$ 30 milhões são da prefeitura.

A região do Jardim Cipreste conta hoje com moradias próximas a encostas; nos pontos mais extremos, as declividades chegam a 50%.

A pavimentação que será realizada em todo o complexo irá equacionar as condições de escoamento da água, misturando asfalto e concreto.

Para Eunice Maria da Silva, moradora da região, a melhoria no bairro já é notória.

“Aqui é passagem de uma cidade para outra e é visível o aumento do movimento.

Para o meu estabelecimento é fantástico.

Antes não havia condições de trafegar nas ruas”, diz a comerciante.

Já a dona de casa Lúcia Helena Clementino observa outras novidades.

“Existe água e esgoto, energia elétrica, telefone e um posto de saúde, que antes não tinha.

Tudo bem diferente de quando vim para o bairro, há muitos anos”, detalha.

A construção do tanque de retenção no córrego Ciprestes proporcionará não apenas a retenção das águas pluviais, mas também retardo da chegada das águas na bacia adjacente.

Isso evitará alagamentos e inundações nos bairros vizinhos.

O projeto para a urbanização do Jardim Ciprestes teve início em 2005, com o Prosanear, do Ministério das Cidades, e foi alterado para o PAC em 2007, com o surgimento do novo programa.

Entretanto, esteve prestes a ser cancelado por atraso do cronograma.

Em 2009, o município renegociou e garantiu os recursos.

“Tivemos que rever e alterar o projeto.

A realidade mudou enquanto o projeto esteve parado e não podíamos perder essa oportunidade”, explica o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Frederico Muraro Filho.

As intervenções e obras têm previsão de término em março de 2013.

De acordo com a prefeitura, no processo de realização das obras e na fase pós-obras o município irá desenvolver também um trabalho técnico social, permitindo que a comunidade possa utilizar corretamente os sistemas e equipamentos, melhorando a qualidade e as condições de vida.

“Há uma serie de cuidados e medidas que estamos tomando para que tudo seja sustentável e cuidado pela própria população, por isso o amplo processo de conscientização e esclarecimento sobre as obras”, continuou Ravin.

Em breve, parte das famílias do bairro deixará o local e receberá as chaves de sua casa própria com a entrega das primeiras unidades habitacionais do Grande ABC, por meio do programa “Minha Casa, Minha Vida”, nos Conjuntos Juquiá e Londrina (Vila Linda).

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Portal Diário do Comércio e Indústria