Prefeito Amazonino Mendes disse que pode deixar a política muito em breve

PTB Notícias 11/06/2009, 12:37


O prefeito de Manaus, o petebista Amazonino Mendes, disse que poderá deixar a política muito em breve.

“Estou me despedindo da vida pública.

Os meus gestos são verdadeiros e o meu objetivo é louvar esse mandato que o povo me deu”, declarou ele, ontem, ao participar de uma solenidade no Parque do Idoso, onde assinou o decreto municipal que oficializou a efetivação de 1.

700 agentes de saúde.

A assessoria de Amazonino informou ao jornal A Crítica que as intenções do prefeito são de deixar mesmo a vida pública tão logo consiga promover as mudanças estruturais na cidade de Manaus.

“Ele tem realmente falado demais isso.

Muita gente pensava que ele ia fazer desse mandato um tranpolim político, mas o prefeito disse que está cansado da hipocrisia, da discórdia e que agora só quer trabalhar para reestruturar Manaus.

Custe o que custar”, disse a secretária municipal de Comunicação, Liliane Maia.

As declarações de Amazonino demonstrando insatisfação com a Prefeitura de Manaus e com a vida política estão se tornando cada vez mais evidente.

Prestes a completar 70 anos em novembro, Amazonino já foi três vezes governador, passou pelo Senado e está no 3º mandato de prefeito de Manaus.

Para a irmã do prefeito, a vereadora Marize Mendes (PTB), os problemas que Amazonino tem enfrentado para administrar a Prefeitura “louvam ele a dizer que está desestimulado”.

“O Amazonino é um tocador de obras.

Acho que a cabeça dele agora rodou de vez.

Essa é a verdade mais pura.

Está sendo muita decepção para ele encontrar uma cidade desorganizada e não poder arrumar como gostaria.

Se ele terminar a carreira política dele como Prefeito, ele pode dizer que a vida dele não passou em brancas nuvens”, comentou a parlamentar.

Assunto espinhosoEntre os secretários de Amazonino que compõem o primeiro escalão, o fato de o prefeito evidenciar que está prestes a deixar a vida pública é um assunto considerado “espinhoso”, porque além de subordinados de Amazonino, o secretário de Obras, Américo Gorayeb, o chefe do Gabinete Civil, João Coêlho Braga, o Braguinha e o secretário de Saúde, Francisco Deodato são amigos pessoais do prefeito.

Procurados por A CRÍTICA nenhum deles arriscou fazer qualquer comentário.

fonte: jornal A Crítica (AM)