Prefeito Auricchio formula projeto para garantir evolução de São Caetano

PTB Notícias 19/12/2011, 7:39


O prefeito de São Caetano (SP), José Auricchio Júnior (PTB), formula projeto para garantir a evolução da cidade nos próximos anos.

O objetivo é manter o ritmo de crescimento apresentado em sua gestão, o nível de 140% em oito anos.

Essa foi a variação positiva obtida na receita desde 2005, quando a previsão de arrecadação foi de R$ 378 milhões.

Em 2012, quando fechar o segundo mandato, a expectativa é entrar nos cofres municipais R$ 901 milhões (veja arte ao lado).

Para que a cidade chegue em 2020 no mesmo patamar de aceleração, Auricchio pretende colocar em prática no ano que vem um pacote de incentivos fiscais para atrair empresas do setor eletrônico.

O mote é simples e eficiente: companhias desse ramo precisam de pouco espaço para atuar, mas têm alto valor agregado, com faturamento expressivo e, consequentemente, importante colaboração tributária.

O chefe do Executivo não detalhou o projeto, mas deve ser semelhante ao do setor de Saúde, que aproximou o grupo do Hospital São Luiz para instalar a unidade no município.

Isenção de IPTU, redução nas taxas de construção e possível abatimento em ISS são alguns fatores estudados.

“Temos de buscar a meta de fazer, no mínimo, o mesmo crescimento dos últimos anos.

Claro que ainda somos dependentes da economia global, por isso quero crer que a presidente Dilma (Rousseff) tenha perspicácia para enfrentar essa turbulência (principalmente na economia europeia).

Se a gente (Brasil) conseguir passar com mínimos efeitos por essa crise, temos (São Caetano) condições de atingir crescimento nessa ordem (de 140% em oito anos)”, analisou o petebista.

“Quero colaborar nesse processo.

Vou deixar, antes de ir embora (da Prefeitura, em dezembro de 2012), ações na tentativa de ampliar a atração de segmento da indústria limpa, que venha agregar à cidade no aumento da produção local.

Estou trabalhando com grupo específico do governo”, discorreu.

A alternativa é colocada pela falta de grandes áreas na cidade.

O último espaço de porte razoável – 300 mil metros quadrados – foi ocupado pelo projeto Espaço Cerâmica, que abriga shopping e terá ainda conjuntos residencial e comercial.

BALANÇODesde 2005, a arrecadação de São Caetano foi impulsionada pelo investimento da General Motors na fixação da planta no município e no crescimento do ramo de Tecnologia da Informação, segundo Auricchio.

“A GM é a grande marca.

Fixou-se na cidade, agregando valores que não existiam, como o centro tecnológico.

Empresas satélites dessa cadeia vieram para cá.

O setor entendeu o ambiente favorável, transformando a fábrica mais antiga que eles têm no País na mais produtiva.

Não se consegue isso por um simples toque de mágica.

Há política desenvolvimentista.

No setor de serviço, crescemos sobretudo no setor de TI”, salientou Auricchio.

O chefe do Executivo também destacou as iniciativas do governo que incentivaram o desenvolvimento.

“Existe confiabilidade, ambiente de segurança, a cidade se desenvolve, há políticas claras e transparentes, tem receptividade do poder público.

E os atributos como renda per capita e IDH contribuem.

Serviços públicos eficientes atraem o investidor, temos mantido essa marca”, analisou.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal Diário do Grande ABC