Prefeito de Cabo convida população a entrar em guerra contra a dengue

PTB Notícias 10/05/2012, 20:00


O prefeito da cidade de Cabo de Santo Agostinho, o petebista Lula Cabral, convocou a população do município para entrar em guerra contra a dengue.

Essa chamada do prefeito tem o objetivo de convidar as pessoas para ações práticas e eficazes que elas mesmas podem fazer para combater o mosquito Aedes aegypti, que costuma atuar com mais vigor nessa época do ano.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os pontos mais críticos no Cabo atualmente são Bairro de São Francisco, Charnequinha, Ponte dos Carvalhos e Cohab, porém, o alerta vale para todos.

Uma das principais dicas da Vigilância em Saúde é não deixar água parada.

“Isto porque é em recipientes com água que o mosquito coloca os ovos, não diretamente na água, como as pessoas pensam, mas na parede, onde podem passar até um ano sem contato com o líquido.

Quando a água bate no ovo, basta dois dias imerso para que ele ecloda e dê seguimento ao ciclo de reprodução do inseto, que dura de oito a 12 dias”, explicou uma das coordenadoras do Programa Municipal de Controle à Dengue, Fabiana Marjorie.

“É super válido que a população seja parceira e responsável por manter o ambiente em condições ideais, já que os agentes de Combate às Endemias (Aces) passam na casa de um morador a cada 70 dias, tempo em que há espaço para o nascimento de dez gerações de mosquitos”, relatou Marjorie.

“Para evitar que o mosquito se multiplique, basta tirar a água e esfregar as paredes dos recipientes, como bebedouro de animais, por exemplo, já que, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 90% dos focos são intradomiciliares”, alertou a coordenadora.

Tanto em casa como em ambientes de trabalho, ações simples como essa em geláguas, baldes, copos, poças de água, banheiros desativados, vestuários com banheiro, etc, são bastante indicadas e fazem a diferença.

Entre outras dicas, a vigilância recomenda colocar areia em vasos de planta, peixes carnívoros (Beta, por exemplo) em lajes frias que empoçam água, produtos de reciclagem e piscinas.

Outra ideia é que igrejas, associações e escolas sejam multiplicadoras dessas informações e realizem mutirões de limpeza nos locais onde convivem.

NOTIFICAÇÃO – Para que haja melhor mapeamento da dengue e verba maior para o programa, é muito importante que haja a notificação dos casos.

“Com o registro a Vigilância em Saúde poderá evitar novos casos.

Esse registro é feito através das fichas de notificação preenchidas na própria unidade de saúde.

Os hospitais particulares também são obrigados a notificar e as pessoas devem exigir esse registro”, revelou a gerente de Vigilância em Saúde, Viviane Pina.

De acordo com a gerente, pessoas com sintomas de dengue devem sempre se dirigir a uma unidade de saúde para garantir medicações e exames necessários para o diagnóstico e a notificação do caso.

“Para fortalecer isso, a prefeitura está capacitando profissionais por meio de videoconferências e palestras sobre classificação de risco, notificação e exames que devem ser feitos, como sorologia ou isolamento viral, além da prova do laço”, explicou, lembrando a importância de líquidos e repouso, para a que organismo concentre as energias na recuperação.

fonte: site da Prefeitura de Cabo de Santo Agostinho (PE)