Prefeito de Paraty diz que Parque da Bocaina dificulta vida de moradores

PTB Notícias 14/07/2011, 19:49


O prefeito de Paraty, José Carlos Porto (PTB), foi a Brasília pedir a revogação do decreto 68.

172 que, em 1971, criou o Parque Nacional da Serra da Bocaina, numa área de cerca de 100 mil hectares que abrange, além de Paraty, os municípios de Sâo José do Barreiro (SP), Cunha (SP), Areias (SP), Ubatuba (SP) e Angra dos Reis (RJ).

A prefeitura acha que a existência do parque dificulta a vida dos cidadãos locais, já que isso impede a aprovação de licenças ambientais para realização de obras.

Segundo a prefeitura, na realidade, “o parque foi criado, mas não foi instituído”.

Em entrevista a um jornal da região, o prefeito citou, como exemplos de obras paradas, a estrada Paraty-Cunha, uma rede elétrica na área do Parque, e uma nova rede de água em Trindade.

“Todo feriado, toda temporada falta água em Trindade, porque foi um bairro que cresceu, com muitas pousadas, e a rede, hoje, é insuficiente.

” Ninguém aqui é contra o progresso.

Mas, na minha opinião, acabar com o parque seria catastrófico.

É ele que ainda mantém – e com muita dificuldade – a região preservada.

Porque a gente já sabe o que o fim dele significaria: especulação imobiliária, destruição e poluição.

Se isso está acontecendo mesmo com a existência do parque, como seria sem ele? A prova de que isso acontece mesmo com a existência do parque veio da própria boca do prefeito de Paraty.

Quando ele diz que o parque “foi criado, mas não foi instituído”, ele está certo.

A quantidade de gente que mora ou tem pousadas e quiosques em locais irregulares – em Trindade e em vários outros locais – é assustadora.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal Força Popular