Prefeito de Rio Pardo apresenta projeto de Terminal Portuário da Aracruz

PTB Notícias 26/07/2007, 13:10


A comunidade da cidade de Rio Pardo, cidade gaúcha administrada pelo prefeito petebista Joni Lisboa da Rocha, pôde conhecer na íntegra o projeto de implantação do Terminal Portuário que será construído no município pela empresa Aracruz Celulose.

A estrutura será construída às margens do Rio Jacuí, em uma área compreendida em 35 hectares, cedida pela Prefeitura.

A apresentação do empreendimento aconteceu na manhã da última terça-feira (24/7), durante encontro realizado no Centro Regional de Cultura, quando os diretores da industria de celulose estiveram no município.

O diretor de operações da indústria, Walter Lídio Nunes, explicou que a empresa tem em sua filosofia a aproximação com a comunidade onde fará investimentos.

Por esta razão momentos como este, para a demonstração do que a empresa tem para oferecer ao município de Rio Pardo, não será único.

“Entendemos que cada vez mais a empresa precisa se apresentar à comunidade onde vai atuar, mostrando o que está fazendo e o desdobramento dos projetos.

Esta é uma reunião importante para que a população tome conhecimento do que estamos realizando”, disse.

Nunes explicou que a proposta da empresa é iniciar o processo de construção do terminal portuário a partir de janeiro de 2008.

Trata-se de um investimento na ordem de R$ 40 milhões e que vai gerar cerca de 300 empregos diretos na fase de construção.

“Os projetos de engenharia conceitual básica devem ser aprovados em dezembro deste ano, por isso acreditamos que em janeiro daremos início as primeiras ações de uma série que vamos desenvolver para esta construção”, explicou.

A empresa, segundo o diretor de operações, vai investir cerca de 2 bilhões de dólares no Rio Grande do Sul, com a ampliação da Aracruz, que deverá se tornar a maior indústria de celulose branca do mundo.

“Temos uma estimativa de produzirmos cerca de 1,8 milhões de toneladas por ano”, disse.

Conforme o projeto da empresa, o terminal portuário de Rio Pardo vai concentrar a produção de madeira da metade sul do estado, garantindo o transporte diário de 2 milhões de toneladas ano, utilizando a hidrovia do Rio Jacuí.

Aracruz faz o maior investimento que Rio Pardo já recebeu”A instalação desse terminal portuário é um divisor de águas para história econômica de Rio Pardo.

Começamos as negociações coma empresa em fevereiro do ano passado e durante todo o período em que conversamos respeitamos o pedido de sigilo feito pelos diretores”, disse o prefeito petebista Joni Lisboa da Rocha em seu pronunciamento.

“Passamos por todos os processos necessários para que a empresa definisse Rio Pardo como uma das cidades que receberia parte dos investimentos.

Hoje estamos aqui apresentando para a comunidade, este que é o maior investimento já feito neste município.

Saímos de um período de estagnação, para começarmos uma nova história, que é de um futuro promissor e que em um curto prazo vai mostrar os resultados positivos.

E quem ganha é a comunidade, a população, que terá emprego e renda”, disse o prefeito petebista, ao dar as boas vindas à industria.

O secretário de Desenvolvimento, Indústria e Comércio de Rio Pardo, Hamilton Silveira da Silveira, que organizou o evento, destacou a importância dos investimentos da Aracruz, dizendo que o empreendimento vai alavancar a economia do município.

“Estamos orgulhosos em recepcionar a Aracruz para essa apresentação do projeto à comunidade.

Esse é o começo de um processo que vai mudar a condição econômica e social da nossa cidade e a participação da comunidade é fundamental”, disse.

ÁREAA Aracruz Celulose já adquiriu 6 mil hectares de terra em Rio Pardo e outros 3 mil estão em fase de negociação.

Conforme o gerente regional florestal da empresa, Renato Alfonso Rostirolla, as negociações estão mais demoradas em razão da elevação dos preços.

“Queremos adquirir mais áreas dentro do município, mas em razão da procura, houve um aumento significativo nos valores.

Temos interesse, mas não podemos extrapolar os valores normais de mercado.

A Aracruz tem a responsabilidade de avaliar também a questão produtiva das terras a serem adquiridas, por isso tomamos um cuidado com as áreas consideradas nobres, para produção de grãos e outras culturas importantes”, disse.

fonte: site da Prefeitura de Rio Pardo (RS)