Prefeito de São Caetano, José Auricchio Jr. destaca Educação em balanço

PTB Notícias 15/12/2011, 8:27


No balanço das ações de 2011, o prefeito de São Caetano (SP), José Auricchio Júnior (PTB), destacou o setor de Educação.

A Saúde mereceu menção honrosa por parte do petebista, que ainda admitiu gargalos nas áreas de Habitação e Segurança.

Na planilha de atividades divulgada pelo chefe do Executivo estão 16 obras inauguradas, 18 em andamento e 11 prontas para serem entregues à população.

Auricchio ressaltou que atingiu o patamar esperado na Educação e o que demarca a performance são as iniciativas para acesso ao Ensino Médio, em que foram abertas 1.

015 vagas: 420 na EME Professora Alcina Dantas Feijão, 245 na EME Vicente Bastos e 350 na nova escola que vai funcionar no antigo prédio da Faculdade de Serviço Social, cuja estrutura foi preparada neste ano.

“Faltava fechar o arco.

Com esse número de vagas, conseguimos formatar a Educação.

Havia mais projetos de incentivo a universitários do que para o Ensino Médio, que vive expectativa de o Estado assumir e qualificar, mas é difícil.

Nós assumimos com perspectiva muito boa”, analisou o prefeito, ao comemorar índice de aprovação de 92% na área educacional por parte da sociedade, em pesquisa realizada em novembro pelo Instituto Vox Populi.

O petebista, no entanto, se disse angustiado com “algumas obras em andamento” no setor educacional – 13, mais especificamente – que deveriam ter ficado prontas neste exercício, mas serão concluídas no início do ano que vem.

“Algumas intervenções poderiam estar mais adiantadas, mas é coisa mínima.

” Sobre o setor de Saúde, Auricchio salientou que “é uma marca da administração (que está em seu sétimo ano)” e que “está muito bem estruturada”.

A preparação, em 2011, de mais quatro unidades para serem colocadas em funcionamento em 2012 foi o destaque da área.

A Prefeitura adquiriu o Hospital São Caetano, que era particular, ao protocolar na Justiça ação para desapropriar o empreendimento, permitindo negociar a compra do espaço para utilização pública – o imóvel é avaliado em R$ 12 milhões.

A administração municipal reabrirá a unidade que estava atolada em dívidas.

Para o funcionamento, será ampliado o convênio do governo com a Fundação do ABC, que gerencia equipamentos de Saúde na cidade.

Também está sendo construída UPA na divisa dos bairros Mauá e Nova Gerty, ampliação do complexo Maria e Márcia Braido e centro médico de especialidades, onde era o pronto-socorro.

“Deixaremos a estrutura completa”, frisou o prefeito.

Petebista admite gargalos na Habitação, Trânsito e Segurança Apesar de enaltecer o trabalho desenvolvido na Educação e na Saúde, o prefeito José Auricchio Júnior reconheceu que as áreas de Habitação e Segurança foram em 2011 – assim como no restante da gestão, iniciada em 2005 – os gargalos da administração.

“São os dois setores que ainda nos incomoda.

” O projeto habitacional da gestão petebista era de 1.

000 unidades até dezembro do ano que vem.

Mas até agora somente 97 apartamentos foram entregues, em parceria com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo.

“Ficou aquém da nossa meta estabelecida no plano de governo”, admitiu o petebista.

Existem três outros projetos em análise no governo estadual, que podem elevar a até 600 unidades em São Caetano.

“Há dificuldade grande histórica.

Ofertamos três espaços para a CDHU (uma no Centro e duas no Nova Gerty) que aguardam avaliação técnica do Estado.

Porém, será difícil iniciar os três projetos de uma só vez”, observou Auricchio.

No Trânsito, o chefe do Executivo destacou que as ações da Prefeitura, e também da região, são ínfimas para resolução total do problema.

“Temos trabalhado na regularização dos estacionamentos públicos, sincronismo semafórico, videomonitoramento, intensificação da fiscalização.

.

.

mas não podemos vender utopia de resolução.

A melhoria no tráfego das cidades urbanizadas, as metrópoles, está amarrada diretamente no ser humano.

Não abdicamos da cultura do automóvel.

Enquanto não mudar a matriz de descolocamento, não resolverá.

” O prefeito rechaçou que, no município, a situação se agrave pela verticalização.

“Isso não é verdade.

Temos a maior frota per capita brasileira, conseguinte renda e poder aquisitivo, baixo número de residências com garagens (o que acarreta em carros parados nas ruas/CF), crédito abundante (para compra).

É óbvio que mais moradores aumenta, mas não é o fator fundamental.

” SEGURANÇANo quesito Segurança, o petebista salientou que falta no Brasil “política séria de combate aos tráficos de drogas e armas”, combustíveis aos crimes.

E discorreu sobre as ações pontuais que desenvolve em São Caetano.

“Peguei a Guarda Municipal com 300 integrantes e vou deixar com mais de 500, ampliamos a frota de viaturas, colocamos bases nos bairros, damos treinamento.

.

.

” Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal Diário do Grande ABC