Prefeito de SP sanciona PL de Paulo Frange sobre internação domiciliar

PTB Notícias 26/09/2011, 6:33


O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, sancionará hoje, 26/09, o Projeto de Lei 98/2011, proposto pelo vereador Paulo Fange (PTB) e que institui o Programa Hospital Domiciliar de Atendimento e Internação Domiciliar no município de São Paulo (Prohdom).

O programa já existe na cidade, mas é aplicado através de portaria, sendo, assim, restritivo.

A partir de agora, com a lei em vigor, o atendimento se estenderá a todos os cidadãos do município de São Paulo que necessitarem.

A promulgação da Lei acontecerá no Auditório do 7º andar da sede da prefeitura.

O Prohdom é a concretização de um desejo antigo do vereador e também médico Paulo Fange e atende às expectativas dos empresários do setor, representados pelo Núcleo Nacional das Empresas de Atenção Domiciliar (Nead) e pelo Sindicato Nacional das Empresas de Atenção Domiciliar (Sinesad), que desde o início apoiam a iniciativa e desejam contribuir para a concretização e o sucesso do Projeto.

De forma ampla, o Prohdom engloba a atenção, o atendimento e a internação domiciliar como ações de promoção à saúde, prevenção, tratamento de doenças e reabilitação desenvolvidas no domicílio.

Além do conjunto de atividades de caráter ambulatorial, programadas e contínuas desenvolvidas no domicílio até a assistência em tempo integral, para pacientes com quadro clínico mais complexo e necessidade de tecnologia especializada.

A partir desta atuação, o programa irá contribuir para a otimização de leitos hospitalares, reduzindo o tempo de permanência e aumentando a rotatividade dos leitos.

O objetivo é desospitalizar em tempo adequado os pacientes com perfil para internação hospitalar, evitando hospitalização desnecessária, reduzindo as taxas de reinternação, minimizando os riscos de complicações clínicas, como infecção hospitalar, além de permitir uma melhor integração do paciente com a família.

Segundo dados do município, atualmente 3 a cada 10 pacientes internados podem ser cuidados em casa.

A cidade de São Paulo tem hoje 80 pessoas em internação domiciliar pelo sistema público, e outras 1.

700 pessoas estão no programa de atendimento domiciliar, todos recebendo acompanhamento de equipe multiprofissional de saúde.

O programa espera aliviar a superlotação dos 40 hospitais públicos da capital.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Portal DCI