Prefeito Duciomar Costa apresenta em Belém (PA) o Ecomuseu da Amazônia

PTB Notícias 12/06/2007, 8:39


Valorizar a cultura regional, promover a educação ambiental e capacitar as comunidades a partir de programas que garantam o desenvolvimento auto-sustentável da região.

Dessa proposta nasceu o Ecomuseu da Amazônia, um projeto inovador que ganhou forma com um seminário realizado neste final de semana em Belém.

Idealizado pelo prefeito de Belém, o petebista Duciomar Costa, através da Secretaria Municipal de Educação (Semec) e Secretaria Municipal de Economia (Secon) da Prefeitura, o Ecomuseu da Amazônia abrange inicialmente o Distrito de Icoaraci (bairro do Paracuri e orla), estendendo-se até a região das ilhas – Mosqueiro, Outeiro e Cotijuba.

Futuramente abrigará também áreas históricas e museológicas da Grande Belém.

O seminário Ecomuseu da Amazônia foi aberto no último fim de semana, com a presença de especialistas de vários Estados brasileiros.

Criador do conceito de ecomuseu, o pesquisador francês Hugues de Varine fez uma participação especial conversando com a platéia através de uma webcam.

“O museu comunitário pode ajudar a criar um turismo cultural mais inteligente, que respeita as diferenças e riquezas das populações”, disse ele.

Ex-presidente do Conselho Internacional de Museus, Varine ressaltou a importância da criação do Ecomuseu da Amazônia.

“Esse projeto precisa ser difundido além de Belém e do Brasil”.

O prefeito de Belém, Duciomar Costa, esteve presente à abertura do evento, e falou da necessidade de se realizar o projeto na região amazônica.

“Mesmo que pareça uma iniciativa ainda pequena, como um beija-flor que carrega uma gota d’água para uma floresta em chamas, estamos fazendo a nossa parte”.

A pesquisadora Odalice Priosti, presidente da Associação Brasileira de Ecomuseus e Museus Comunitários (ABREMC), com sede no Rio de Janeiro, explicou que para um ecomuseu a riqueza não está nas coleções históricas, mas no saber popular, na tradição de um lugar.

“É preciso valorizar a cultura viva das comunidades, estimulando a pesquisa participativa e a interação entre as gerações.

Para quem não possui o ter, o saber e o poder, restam o patrimônio e sua capacidade de criar”.

A proposta do Ecomuseu da Amazônia retoma ações executadas há mais de dez anos, quando foi criado o Liceu de Artes e Ofícios Mestre Raimundo Cardoso, também conhecido como Escola do Paracuri, em Icoaraci.

O modelo de valorização da cultura local, com estímulo ao desenvolvimento auto-sustentável, inspirou a Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira, em Outeiro, e a Escola Parque Amazônia, na Terra Firme.

Esses três espaços serão referência para a execução do Ecomuseu da Amazônia.

“Estamos retomando idéias valiosas, por acreditar que as mudanças mais profundas advém das minorias”, disse a secretária municipal de Educação, Therezinha Gueiros, que fez uma homenagem à educadora Laís Aderne, falecida recentemente.

Aderne foi idealizadora do liceu e defensora da implantação de um ecomuseu na região.

Durante todo o ano de 2006 foram realizadas várias ações envolvendo as comunidades do Ecomuseu da Amazônia, como desfile de moda, oficinas de cerâmica e de gestão de negócios na Ilha de Cotijuba, plantio de mudas nativas na Ilha de Caratateua e atividades educativas e ambientais na Unidade Pedagógica da Faveira, também na Ilha de Cotijuba.

Foi realizado ainda um levantamento do perfil sócio-econômico e cultural das áreas de abrangência do projeto.

fonte: site da Prefeitura de Belém (PA)