Prefeito eleito de Presidente Prudente, Nelson Bugalho fala de seus projetos e prioridades

Agência Trabalhista de Notícias - 10/10/2016, 8:23

Crédito: Divulgação

Imagem

Candidato a deputado estadual em 2010 e a deputado federal em 2014, Nelson Roberto Bugalho (PTB) concorreu pela primeira vez ao cargo de prefeito de Presidente Prudente (SP) e foi eleito com 33.209 votos, número que equivale a 29,46% dos votos válidos. Em uma eleição disputada, ele venceu por uma diferença pequena de votos, candidatos como Fábio Sato (PPS), que obteve 32.175 votos (28,54%), e Agripino Lima (PMDB), que recebeu 30.224 votos (26,81%). Agora, eleito, ele terá desafios ainda maiores para vencer nos próximos quatro anos. Período que inclui as comemorações do centenário prudentino, com o agravante de que o país ainda passa por um momento de turbulência econômica.

O Imparcial: O senhor foi o candidato do atual prefeito. Como será sua participação nesses meses até janeiro e como vai funcionar o sistema de transição?

É importante ressaltar que sou promotor público e, portanto, tenho que cumprir minhas obrigações como tal. Durante as eleições me afastei do cargo e retorno na próxima segunda-feira. Então, vou tentar compatibilizar as funções para acompanhar os procedimentos do Executivo. Vamos tomar conhecimento da estrutura da Prefeitura e funcionamento da máquina pública, uma vez que é importante ficar a par de todo o contexto que vem sendo implantado, para formar uma equipe e dar início àquilo que almejamos.

Qual a sua avaliação do atual governo e o que deve ser mantido em sua administração?

Vejo que o prefeito Tupã [Milton Carlos de Mello (PTB)] fez uma excelente administração e conseguiu conciliar os mais variados partidos políticos em torno de um objetivo comum, que é trabalhar pela cidade, em favor do bem-estar da população. É importante salientar que fui apoiado pelo Tupã, mas nosso governo não será uma mera continuidade de seu governo. Claro que esperamos continuar as obras iniciadas e os projetos implantados, mas nosso objetivo é avançar em outras áreas. Somos um novo governo, com novas ações pelo desenvolvimento de Prudente.

Quais são suas prioridades para o seu mandato?

Nosso objetivo é preparar Prudente para novas oportunidades que se abrirão após o término dessa crise que assolou o Brasil nos últimos anos. Nossa intenção é orientar a economia da cidade para a tecnologia da informação. Primeiro, com a desvinculação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico e vinculação direta ao gabinete do prefeito. Depois com a implementação de um Centro de Inovação e Tecnologia, para colocar a cidade em um contexto mais competitivo, e a criação de um Distrito Industrial Tecnológico, para fomentar a instalação de empresas e a geração de vagas de emprego.

E com relação ao corpo de secretários, já foi definido? Como deve ser montado?

Ainda não temos nada definido. Até ontem [anteontem] o nosso objetivo era ganhar a eleição, agora faremos nossas avaliações nos próximos meses até o dia que assumiremos a Prefeitura. As indicações dos partidos fazem parte da política, mas priorizaremos indicações de cunho técnico. Indicações com mero cunho político não serão aceitas. Não basta ter o apoio de determinado partido para assumir um cargo importante, como o de secretário municipal. A pessoa precisa ter o perfil, além de conhecimento técnico relativo à área.

Esta será sua primeira experiência como político. Como o senhor se sente neste momento?

Será uma experiência diferente. Embora já tenha sido candidato, passei perto, mas não fui eleito nas eleições que concorri a deputado estadual e federal. Mas estou confiante em fazer um bom trabalho e responder de maneira positiva aos votos confiados a mim nas urnas.

Por falar em candidaturas, existe a possibilidade de o senhor se candidatar a deputado nas eleições de 2018?

De maneira alguma. Não existe esta possibilidade. Fui eleito prefeito de Presidente Prudente e vou cumprir minha obrigação até o fim.

Como o senhor enxerga a importância de Prudente em âmbito regional, para conseguir maior visibilidade em âmbitos estadual e federal?

Eu creio que Prudente já exerce certa liderança regional, mas temos que ser mais arrojados. Mas isso não depende apenas da classe política, mas também do setor produtivo e da sociedade civil em geral. Meu compromisso é buscar fortalecer a economia da região. Claro que isso começa por Prudente, que deve ser protagonista nessa demanda do fortalecimento regional.

Prudente está às vésperas do seu centenário. Quais seus planos para esta data?

É uma honra ser prefeito de Prudente no centenário da cidade. Acredito que ainda neste mandato deverá ser criada uma comissão especial do centenário, para planejar a realização de eventos que devem ser realizados ao longo do ano. Chegamos com muitas outras ideias para somar e espero que nossas propostas se tornem realidade e possam cooperar para o crescimento e desenvolvimento de Prudente.

Com informações do jornal O Imparcial