Prefeitura de Belém e CEF firmam repasse de recursos para Vila da Barca

PTB Notícias 5/10/2007, 10:04


O contrato assinado libera R$ 44 milhões para a 3ª etapa da Vila da BarcaO prefeito municipal de Belém, o petebista Duciomar Costa, e a superintendente regional da Caixa Econômica Federal (CEF) no Estado do Pará, Noêmia Jacob, assinaram o contrato de liberação de R$ 44 milhões para a terceira etapa da construção do Conjunto Habitacional da Vila da Barca”, em cerimônia na tarde desta quinta-feira (04/10), no edifício-sede da Caixa Econômica Federal no Pará.

O prefeito Duciomar Costa agradeceu, em nome de toda a população de Belém, o papel desempenhado pela Caixa Econômica no Estado, afirmando que a instituição tem colaborado para as obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do Governo Federal, na capital paraense.

“Quando a gente observa como viviam aquelas famílias e o horizonte que se avizinha para elas com a entrega das primeiras unidades de moradia, e após fazermos a comparação entre as fotografias do “antes e depois” a imagem que se constrói chega mesmo a nos chocar, e mostra a realidade em que vive parcela significante da população de Belém e do Brasil”, disse o prefeito petebista.

Já ficou programada para a próxima semana, a assinatura dos convênios das obras do Portal da Amazônia e da Macrodrenagem da bacia da Estrada Nova.

Duciomar revelou que desde janeiro de 2005, ele e sua equipe vêm ajustando as contas municipais para poder recuperar a capacidade de endividamento e pagamento da PMB.

O prefeito disse ainda que em razão dessas restrições impostas pelo Ministério do Planejamento e pelo Tesouro Nacional, o município está, desde os últimos cinco anos, sem poder realizar parcerias e receber financiamentos e empréstimos públicos.

Duciomar enfatizou a mudança de realidade na vida da população de Belém”A recuperação da capacidade de endividamento e pagamento, o chamado superávit primário entre arrecadação e gastos, da PMB, foi matéria com destaque de página inteira no Jornal Folha de S.

Paulo.

Dos prefeitos que tomaram posse em 01 de Janeiro de 2005, somente Belém e Porto Alegre foram as capitais que conseguiram adequar-se as normas impostas pelos dois órgãos federais.

Isso demonstra todo o empenho da nossa gestão em aprimorar as condições financeiras da prefeitura de Belém, de maneira a prepará-la para as transformações urbanas que estamos empenhados em realizar e prestar para a população da cidade”, finalizou o prefeito municipal.

A superintendente regional da CEF, Noêmia Jacob, disse que “desde a sua criação, como financiadora dos escravos no período imperial, a Caixa tem no seu DNA o social.

Portanto, cada funcionário do banco sente a realidade que obras como essa executam na vida das pessoas.

E isso somente nos deixa muito felizes e certos de estarmos cumprindo com a nossa obrigação.

Sem falar que, ao observar-se as micro-regiões onde estão sendo realizadas essas obras, se confirmará que elas estão localizadas entre aquelas historicamente identificadas como as mais pobres e problemáticas da cidade de Belém”, garantiu.

Prefeitura e CEF celebram parceriaSegundo o secretário municipal de Urbanismo, Sérgio Pimentel desde a gestão do intendente Antonio Lemos jamais houve um projeto da dimensão pelo que passa Belém com as obras lideradas pela administração do prefeito Duciomar Costa.

“Segurança Pública, inclusão social, valorização da moradia, urbanização, fomento do turismo, todas essas questões passam pelas obras que acontecem em Belém”, disse.

O secretário municipal de Habitação, Paulo Queiroz, completou que as obras da Vila da Barca representam o resgate de uma dívida histórica do município de Belém com aquela comunidade carente.

“Pela sua abrangência e alcance, o “Projeto da Vila da Barca” é uma coisa única o que está acontecendo em Belém.

Ao todo, 80 milhões de reais serão investidos para transformar a realidade vivida por 2500 famílias que moram no entorno daquela região”, explicou.

fonte: site da Prefeitura de Belém (PA)