Prefeitura de Caldas Novas investe em responsabilidade ambiental

PTB Notícias 4/06/2007, 10:17


A Prefeitura de Caldas Novas/GO está empreendendo diversas ações para que os moradores tenham acesso garantido a mais conforto e bem estar social.

A administração, liderada pela petebista Magda Mofatto, tem se dedicado a investir em melhorias como a modernização do Aterro Sanitário Municipal.

De acordo com o secretário Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Brunno Junqueira, a maior preocupação da prefeita Magda Mofatto é quanto ao respeito com o meio ambiente.

“Caldas Novas é uma cidade que depende de seus recursos naturais para sua economia.

Por isso, o Aterro Sanitário Municipal precisa servir de exemplo, sendo modelo de respeito com as normas ambientais”, enfatizou.

Na última segunda-feira (28/05), a equipe da SEMMARH esteve presente no aterro sanitário municipal para o fechamento da primeira vala, onde existe o acúmulo de lixo de quase dois anos.

Posteriormente, haverá a implantação dos tubos para a saída dos gases.

“Estamos trabalhando incansavelmente para que as melhorias aconteçam cada vez mais”, disse o secretário de meio ambiente.

E completou: “Com absoluta certeza, o aterro sanitário de Caldas Novas beneficiará o município por vários anos.

Um trabalho realizado graças à administração da prefeita Magda Mofatto que está sempre preocupada com a qualidade de vida dos munícipes caldasnovenses”.

Também foram plantadas no local cerca de 800 mudas de arvores nativas do cerrado.

Antes da reestruturação do aterro, o lixo era depositado aleatoriamente, sem nenhum tipo de planejamento.

Hoje o lixo está acondicionado, compactado e, principalmente, seguro.

A idéia principal para a utilização das valas do aterro sanitário é realizar o reflorestamento dessas áreas, já anteriormente degradadas.

Atualmente, o processo de drenagem do chorume produzido pelo lixo no período chuvoso é simples e eficaz, consistindo na drenagem e logo após, é enviado para duas lagoas de decaptaçao.

A nova vala que já está sendo utilizada terá o dobro de lagoas.

Agência Trabalhista de Notícias