Prefeitura de Ilhabela começa a cobrar taxa ambiental neste feriado

PTB Notícias 19/03/2008, 10:28


A Prefeitura de Ilhabela – cidade localizada à 217 km da capital de São Paulo e administrada pelo petebista Manoel Marcos, começará a cobrar nesta quinta-feira (20/03), aos turistas que entram na ilha do litoral norte do Estado, a taxa de preservação ambiental aprovada pela Câmara Municipal no final de 2007.

A tarifa faz parte do Plano Diretor da cidade e é semelhante à cobrada na ilha de Fernando de Noronha, que pertence ao estado de Pernambuco.

Uma das justificativas dada pelo município para a cobrança é que os recursos arrecadados em Ilhabela não são suficientes para suprir os danos provocados ao ambiente por cerca de 1,2 milhões de turistas durante o ano todo.

A taxa passa a ser cobrada nos finais de semana e durante os feriados prolongados.

Segundo a assessoria da prefeitura, o motivo de a cobrança só começar a ser feita nesta quinta é que a lei só passou a vigorar em 1º de março e este é o primeiro feriado prolongado desde então.

Os valores da taxa irão variar de acordo com o veículo.

Para carros e motos será cobrada tarifa de R$ 2.

Para caminhonetes o valor será de R$ 3.

Vans serão taxadas em R$ 100, microônibus em R$ 200 e ônibus em R$ 300.

Em alguns casos há isenção da taxa.

São eles: caminhões pesando até 15 toneladas, ambulâncias, carros fortes e oficiais, veículos licenciados na ilha, da imprensa, de portadores de deficiência e que transportam prestadores de serviços como eletricidade, telefonia, água e saneamento básico.

Além da taxa de preservação, também passa a valer a partir desta quinta-feira a limitação no total de veículos na ilha durante feriados prolongados e em alta temporada (de dezembro à Quarta-feira de Cinzas e no mês de julho).

Por causa do excesso de turistas, a prefeitura decidiu limitar em 10 mil o total de veículos vindos de fora na cidade, além, dos 5,6 mil já existentes no local.

Para controlar esse número de veículos, serão colocados chips nos veículos que entram na ilha.

Ainda de acordo com a prefeitura, os chips serão semelhantes ao utilizados pelo Sem Parar.

Com esse mecanismo será possível registrar diversas informações sobre o perfil do visitante de Ilhabela que serão úteis em pesquisas posteriores.

O turista não irá pagar pelo equipamento e sua instalação.

Agência Trabalhista de Notícias (com informações do G1)