Prefeitura de Rio Pardo encaminha tombamento da Igreja São Francisco

PTB Notícias 22/04/2007, 9:46


A Prefeitura de Rio Pardo – administrada pelo petebista Joni Lisboa da Rocha (RS), por intermédio do Departamento de Conservação do Patrimônio Histórico e Cultural, entregou à Mitra Diocesana de Santa Cruz do Sul o Termo de Notificação de Tombamento do prédio da Igreja São Francisco de Assis.

A partir de agora, a coordenação da igreja tem 15 dias de prazo para recorrer à decisão do município.

Na oportunidade, os representantes da diocese entregaram o Termo de Autorização de Uso do prédio da Igreja São Francisco, para a Associação Zeladora do templo.

A entidade, que há 60 anos assumiu os cuidados com a igreja, busca agora, em parceria com a comunidade e poder público, recursos para dar início à obra de restauração.

A entrega do termo de uso, segundo informou a representante da Mitra Diocesana, Bruna Borgoni, deixa claro o interesse da igreja em ver o prédio que abriga um dos maiores acervos sacros do Rio Grande do Sul, em plenas condições de uso.

“É louvável ver o trabalho e o empenho com que esse grupo atua em benefício deste templo que tem uma das maiores riquezas religiosas do Estado.

Sabemos que a busca pela restauração, será um processo difícil, mas que precisa ser feito.

Por isso estamos cedendo o prédio, pois acreditamos que a busca pela preservação da história é importante e se faz necessária”, disse.

Conforme o documento de cessão e uso do prédio, a associação terá dez anos para desenvolverem os projetos de restauro.

Este prazo poderá ser prorrogado, se houver interesse de ambas as partes.

A presidente da Associação Zeladora da Igreja São Francisco, Lúcia Nair Colleti da Silva, disse que este foi um momento importante para a história da cidade.

“Se não fosse a dedicação e o trabalho da comunidade este prédio já estaria no chão”, disse.

A arquiteta responsável pelo projeto, Vera Schultz, disse que toda e qualquer ação de reciclagem e restauro do prédio é urgente.

“Vamos acelerar ao máximo o processo de tombamento para encaminhar o projeto e captar os recursos necessários para a restauração do templo.

Não podemos mais deixar que as obras da via sacra – esculpidas em madeira no tamanho natural – continuem sendo protegidas por capas plásticas nos dias de chuva”, afirmou.

A Igreja, fundada em 1812, possui um dos maiores acervos de imagens sacras em tamanho natural do Rio Grande do Sul.

A falta de recursos para a manutenção e conservação do prédio causou a deterioração do telhado e piso em madeira, causando infiltrações e colocando em risco a estrutura do prédio.

O Secretário Municipal de Obras de Rio Pardo, Joel Lisboa da Rocha, disse que a Prefeitura é parceira da Associação.

“Acreditamos que com este trabalho em parceria, conseguiremos dar esse patrimônio á comunidade, em condições de uso, para que se possa tirar o melhor proveito possível.

Rio Pardo tem uma riqueza histórico-cultural muito grande e a recuperação desse patrimônio é também um resgate à auto-estima da população”, finalizou.

Agência Trabalhista de Notícias (com informações da Prefeitura de Rio Pardo)