Prefeitura de Santo André construirá estação de trem em Paranapiacaba

PTB Notícias 5/03/2010, 7:52


O acesso ferroviário à Vila de Paranapiacaba, em Santo André, deve ser retomado até julho, quando acontece o Festival de Inverno.

O intuito é atrair mais turistas à localidade.

O acordo entre a Prefeitura da cidade, administrada pelo petebista Aidan Ravin, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e a MRS Logística, empresa que tem concessão para utilizar o trecho para transporte de cargas, foi fechado nesta semana.

“Teremos um turismo de qualidade, com pessoas dispostas a gastar na Vila para conhecer sua cultura”, afirma o secretário de Gestão de Recursos Naturais de Santo André, Eduardo Mendes Junior.

Segundo o secretário, os trens deverão partir da Estação da Luz, no centro da Capital, podendo ter paradas na Mooca, na Zona Leste, e em Santo André, sem outras escalas no trajeto.

“A previsão é de aumento de 35% no número de turistas nos dias de funcionamento da linha” aposta Mendes Junior.

Para o secretário-adjunto dos Transportes Metropolitanos do Estado, João Paulo de Jesus Lopes, a iniciativa atende “uma grande expectativa da comunidade”.

As viagens estão previstas para ocorrer a cada 15 dias, sempre aos domingos.

O preço sugerido é o mesmo praticado atualmente nos roteiros para Jundiaí e Mogi das Cruzes: R$ 28.

Grupos de quatro pessoas têm 50% de desconto no valor.

“As pessoas chegarão à Vila por volta do meio-dia e ficarão toda a tarde.

Teremos ecoturismo e passeios culturais, históricos e gastronômicos.

Nossos guias estão elaborando pacotes”, revela Mendes Junior.

NOVA ESTAÇÃO – A Prefeitura de Santo André promete construir estação de trem em Paranapiacaba para receber os turistas.

Porém, inicialmente, será feita instalação provisória na entrada da Vila.

“Será uma plataforma com cobertura e acessibilidade.

Creio que entregamos em 45 dias.

Depois vamos restaurar o galpão ao lado e fazer a estação definitiva.

” Vagões serão os mesmos de Jundiaí e MogiOs trens que estarão à disposição dos turistas na viagem para Paranapiacaba serão os mesmos que operam em dois roteiros turísticos atualmente: a Mogi das Cruzes e a Jundiaí.

Dois vagões da década de 1960, cedidos pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) e recuperados pela CPTM, com capacidade para 174 passageiros, realizam as viagensPara tracionar os carros – que antigamente operavam entre São Paulo, Campinas, Araraquara, São José do Rio Preto e Santa Fé do Sul – são utilizadas locomotivas a diesel – uma da década de 1960 e outras duas fabricadas nos anos 1950.

“Os agentes turísticos que estão operando nesses dois roteiros foram capacitados por nós.

O que é positivo”, avalia o secretário de Gestão de Recursos Naturais de Santo André, Eduardo Mendes Junior.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Diário do Grande ABC