Prefeitura de Santo André inscreve empreendimentos sociais populares

PTB Notícias 25/12/2011, 9:40


A Prefeitura Santo André (SP), administrada por Aidan Ravin (PTB), abre nesta quarta-feira (30/12) inscrições para empreendimentos sociais interessados em receber suporte da Incubadora Popular de Economia Solidária (IPEPS), vinculada ao Departamento de Geração de Emprego, Trabalho, Qualificação e Renda (DGETQR) da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SDET).

Este chamamento público visa preencher até 550 vagas disponíveis para empreendedores que desenvolvam atividades nas áreas de reciclagem, têxtil-confecção, saúde, turismo, agricultura urbana, artesanato e alimentação.

Interessados devem se dirigir ao Centro Público de Emprego, Trabalho e Renda (CPETR) localizado na Avenida Artur de Queirós, nº 720, bairro Casa Branca, de segunda a sexta, das 9h às 11h e das 14h às 16h.

O período de inscrições vai até 23 de dezembro deste ano.

O processo de seleção dos inscritos obedecerá critérios contidos em edital também afixado no CPETR.

IncubaçãoDe acordo com Mônica Mandarino, diretora do DGETQR, este chamamento é voltado ao atendimento de empreendimentos individuais ou em grupo, formalizados ou não, e que tenham interesse em participar do processo de incubação.

Incubação, no caso, é sinônimo de formação, fomento, desenvolvimento e aperfeiçoamento de novos modelos de organizações econômicas e socioprodutivas, com base nos princípios e valores da economia solidária.

A iniciativa tem amparo legal, uma vez que o município dispõe de Política Municipal de Trabalho e Economia Solidária conforme Lei nº 9.

058/2008, regulamentada pelo decreto nº 15.

846/2008.

Postos fixosNo início deste mês de novembro, a Prefeitura de Santo André promoveu o lançamento do programa Comércio Justo e Solidário com a abertura de três barracas destinadas à comercialização de produtos de empreendimentos populares localizadas na Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André (Craisa), mais especificamente no local que acolhe o Mercado de Flores e o Mercado de Peixes Ornamentais.

Das três barracas, uma (que mede quatro metros quadrados) é utilizada para a venda de artesanato e duas (conjugadas e totalizando oito metros quadrados) são especializadas em alimentação.

Juntas, estas barracas mobilizam cerca de 15 empreendedores, os quais poderão vender seus produtos gratuitamente.

“É a primeira vez na história que a Prefeitura de Santo André dispõe de postos fixos à disposição dos empreendedores que fazem parte da economia solidária”, destaca a diretora Mônica Mandarino.

A operação as três barracas na Craisa representa o início do programa Comércio Justo e Solidário.

O projeto completo – que deve beneficiar parte dos novos inscritos — consiste na implantação de 20 postos fixos para venda de produtos espalhados por diversos pontos da cidade, até o final do ano que vem.

“Estamos garantindo espaço para comercialização de forma permanente, o que é muito importante para a sustentabilidade e o crescimento dos empreendimentos populares”, destaca.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações da Prefeitura de Santo André