Prefeitura de Santo André luta para retirar famílias de área de risco

PTB Notícias 19/01/2011, 7:07


A Prefeitura de Santo André (SP), administrada por Aidan Ravin (PTB), tenta remover 27 famílias de uma área com alto risco de deslizamento no Jardim Santo André.

Segundo a administração, os moradores foram alertados várias vezes sobre a ameaça, mas ainda assim resistem em deixar o local.

“A Defesa Civil está indo rotineiramente à área para explicar às famílias e oferecer garantias de que elas podem deixar as casas”, afirma o superintendente do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André), Ângelo Pavin.

Segundo ele, o prefeito Aidan Ravin manifestou preocupação com o risco.

“Ele nos disse para oferecer tudo e mais um pouco às famílias, desde que elas saiam.

Depois que a terra secar, se estiver tudo bem, elas voltam”, acrescenta.

O superintendente informa ainda que foi feito um boletim de ocorrência preventivo, para alertar as pessoas.

De acordo com Pavin, o lote do Jardim Santo André pertence à CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano).

“É do governo do Estado, mas está dentro do nosso município, então não podemos ignorar”, diz o superintendente.

ABRIGOA Prefeitura de Santo André informa que disponibiliza, desde dezembro, o ginásio de esportes no bairro Sacadura Cabral como abrigo para as pessoas desabrigadas.

Lá, eles recebem café da manhã, almoço e jantar.

Até o momento, apenas uma família está no alojamento provisório, segundo Pavin.

A administração municipal informa que, no fim de 2010, laudo da CDHU apontava risco de deslizamento em 41 residênciasSegundo o Executivo, as famílias que aceitarem deixar a residência, mas não quiserem ir para o abrigo, receberão o aluguel social no valor de R$ 380.

O poder público municipal informa ainda que quem estiver cadastrado na CDHU receberá o benefício até ser contemplado com uma unidade habitacional.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Diário do Grande ABC