Prefeitura do Cabo discute projetos de qualificação profissional

PTB Notícias 6/09/2007, 9:13


O prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Lula Cabral (PTB/PE), e o vice-prefeito, José Ivaldo Gomes, se reuniram na última quarta-feira (05/09) com o presidente da Força Sindical, Laan Isidoro, o presidente do SINTEPAV (Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada), Aldo Amaral, o diretor da Odebrecht, Ricardo Ribeiro e o gerente da Agência do Trabalho do Cabo, José Sebastião de Melo, pra discutir a implantação de novos programas de qualificação profissional, visando garantir a empregabilidade dos cidadãos locais nas empresas que estão se instalando na região, graças ao crescimento do Porto de Suape.

Preocupado com o tema Qualificação Profissional, o prefeito Lula Cabral afirmou que, desde o seu primeiro dia de trabalho, vem luta para garantir à população cabense a preparação necessária para ocupar as vagas de emprego que estão sendo geradas no município.

“O povo nutre a esperança de conseguir a qualificação.

A chance deles é agora.

Precisam de um emprego para estudar, se preparar ainda mais e, no futuro, pleitear uma vaga na refinaria”, disse ele.

A maior oferta de vagas no momento é para operadores de máquinas pesadas.

Segundo o presidente do SINTEPAV, Aldo Amaral, a falta de mão-de-obra qualificada para operar esses equipamentos, não é um problema exclusivo do Cabo: “O setor é deficitário em todo o Brasil, mas, como em Pernambuco, há quatro anos, não havia uma demanda de obras como temos agora, a maior parte dos profissionais especializados migrou para outras regiões em busca de emprego”, afirmou Aldo.

Na semana passada, o petebista participou de uma reunião preliminar em Brasília, com representantes do Ministério do Trabalho, para reivindicar verbas federais para promoção de cursos de qualificação profissional.

O Governo Municipal se comprometeu a disponibilizar o espaço físico necessário para os cursos – salas de aula, galpões para guardar o equipamento, entre outras necessidades, e as empresas da região se comprometem a disponibilizar as máquinas.

“Falta agora conseguir do Governo Federal verba auxiliar para arcar com outras despesas”, afirmam os integrantes das entidades sindicais.

Existe atualmente uma Comissão Conciliadora, formada pelo Sindicato Patronal, trabalhadores, representantes do Poder Público e empresas que estão se instalando na região, pronta para fiscalizar o processo de preparação dos trabalhadores.

A Comissão já possui informações atualizadas sobre as necessidades do setor e está à espera de uma audiência pública de discussão do tema, que deverá ser promovida em Pernambuco ainda este mês.

Agência Trabalhista de Notícias (com informações da Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho)