Presidente Bolsonaro e Fernando Collor inauguram duplicação da BR-101, entre Alagoas e Sergipe

PTB Notícias 17/05/2022, 18:42


Imagem

Ao lado do senador Fernando Collor, do PTB, o presidente Jair Bolsonaro inaugurou nesta terça-feira (17/05) 40 km da duplicação da BR-101, numa solenidade ocorrida no município de Propriá, em Sergipe, na divisa com o Estado de Alagoas. Importante e necessária para o desenvolvimento da região Nordeste, a obra se arrastava havia 12 anos e só avançou na atual gestão do governo federal.

No discurso que proferiu, Bolsonaro destacou a satisfação em poder retornar ao Nordeste para a entrega de mais este projeto. Já foi anunciado, pelo Ministério da Infraestrutura, que, na próxima semana, a comitiva presidencial virá a Alagoas mais uma vez. Agora, será para inauguração de 6 km de duplicação da mesma rodovia, na altura de São Miguel dos Campos.

“Feliz por ver o povo nordestino com as cores verde e amarelo. Sinto-me grato e sensibilizado com a maneira como sou recebido aqui. O Nordeste é nosso. Mais do que entregar esta obra, tenho a satisfação de saber que a população está cada vez mais se inteirando e conhecendo a política nacional. Demonstrando interesse pelo destino da nossa nação, se libertando da velha política brasileira”, destacou o presidente.

O presidente Bolsonaro, ao falar para centenas de pessoas que participaram do evento, fez menção à presença do senador Fernando Collor na solenidade. Para Bolsonaro, o senador de Alagoas é “um de seus grandes aliados no Parlamento brasileiro”. Em resposta, o senador Fernando Collor ressaltou as iniciativas do governo federal para combater a Covid-19 e minimizar os efeitos da inflação.

“Vossa excelência enfrentou uma pandemia que acabou sendo vencida graças ao dinheiro destinado para a compra das vacinas, que os brasileiros tanto pediram. E fez mais. Lembro quando assinou um decreto para que fosse concedida uma bolsa de R$ 600 para os brasileiros que passaram por dificuldades e necessidades. E não ficou por aí. Também trouxe o Auxílio Brasil, que é para a vida toda. Um auxílio que vai de 400 até 2 mil reais para quem é beneficiado”, destacou o senador petebista

Ainda em seu pronunciamento, o presidente Bolsonaro afirmou que, desde quando assumiu o mandato, em 2019, tem trabalhado para tornar o Brasil diferente, apesar dos percalços que surgiram, a exemplo da pandemia de coronavírus e a guerra da Rússia contra a Ucrânia.

“Muitos defenderam a política do ‘fique em casa’, mas o governo federal respeitou a liberdade e, desde o começo da pandemia, sabia que deveria combater o vírus e o desemprego. Alguns governadores destruíram empregos, sobretudo dos mais pobres. Vencemos este obstáculo com o Auxílio Brasil, dando dignidade aos brasileiros. Também demos fim no movimento do MST quando passamos a titular as terras. O antigo assentado é proprietário da sua terra e não pratica mais atos de invasão”, completou.

Bolsonaro também frisou as ações da União para levar água aos sertanejos. Segundo ele, a transposição é uma realidade atual que deveria ter sido desde 2010. “O PT [Partido dos Trabalhadores] não desviou a água para o Nordeste, mas para o próprio bolso. O endividamento da Petrobras, na época do governo anterior, chegou a R$ 900 bilhões, que dariam para fazer 60 vezes a transposição do rio São Francisco”, afirmou.