Presidente da Câmara ressalta legado trabalhista de Getúlio e do PTB

PTB Notícias 16/05/2014, 8:11


O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), ressaltou, na quarta-feira (14/5/2014), a defesa dos direitos trabalhistas como um dos principais legados de Getúlio Vargas e da atuação política do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) ao longo da história brasileira.

A afirmação foi feita na sessão solene em homenagem aos 60 anos da morte do ex-presidente Getúlio Vargas e aos 69 anos de criação do PTB.

“Prestamos uma homenagem a uma personagem notável, Getúlio Vargas, evocando, por seu intermédio, referências, ações e valores inscritos na matriz fundadora do Partido Trabalhista Brasileiro: liberdade associativa, participação política, capacidade organizativa dos trabalhadores, dignidade da pessoa humana, desenvolvimentismo, modernidade, nacionalismo”, afirmou Henrique Alves, na sessão proposta pelo líder do PTB na Câmara, deputado Jovair Arantes (GO).

Sobre a trajetória de Getúlio Vargas, o presidente da Câmara disse que, além de um líder, ele se tornou “um mito, um exemplo de vida”, que se destacou por sua força e por suas convicções, especialmente em relação ao trabalhismo e à defesa dos direitos sociais.

ExposiçãoHenrique Alves ainda destacou, em seu pronunciamento, o lançamento na quarta-feira da exposição “Getúlio Vargas: o Político e o Mito”, produzida pelo Centro Cultural Câmara dos Deputados.

A mostra, instalada no corredor de acesso ao Plenário Ulysses Guimarães, poderá ser visitada até o dia 10 de setembro.

Na exposição, que integra a programação da 12ª Semana de Museus, são exibidos fatos históricos do período entre 1930 e 1950, conhecido como Era Vargas.

Estão em exibição fotos de Getúlio Vargas, desde a infância em São Borja (RS) até o suicídio em 1954, além de quadros, reproduções de documentos históricos e letras de músicas alusivas ao seu governo.

Uma novidade será a utilização do QR-Code – resposta rápida, com o qual o visitante poderá, por meio do seu celular ou tablet, ter acesso a outras informações, como o texto integral da carta testamento e da carta de despedida de Getúlio Vargas, ou fazer um passeio virtual pelo Palácio do Catete, sede do governo federal na época e local onde o então presidente cometeu o suicídio.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Agência Câmara Notícias Foto: Rodolfo Stuckert/Câmara dos Deputados