Presidente da Comissão de petróleo do ES vai ouvir municípios produtores

PTB Notícias 27/03/2007, 10:43


O presidente da Comissão Especial de Petróleo, Gás e Energia da Assembléia Legislativa do Espírito Santo, deputado estadual Marcelo Santos (PTB), convidou os prefeitos dos municípios produtores de petróleo para expor suas posições a respeito das relações com a Petrobrás.

De acordo com os prefeitos, há um desejo geral de estreitamento nas relações, que permita aos municípios uma visão mais transparente sobres as operações praticadas pela empresa junto aos municípios.

A proposta do convite, feita por Marcelo Santos na última reunião da comissão, semana passada, foi votada e aprovada por unanimidade.

“Temos que reconhecer o importante papel que a Petrobrás exerce no desenvolvimento do nosso estado e do país, mas temos também a responsabilidade de tratar o assunto com urgência e rigor, pois os interesses dos municípios capixabas estão em primeiro lugar”, ressaltou o deputado.

A primeira reunião aconteceu nesta segunda-feira (26/03), no plenário da Assembléia Legislativa, com os prefeitos e assessores jurídicos de São Mateus, Jaguaré, Conceição da Barra, Presidente Kennedy e Anchieta, além de um técnico que representou a prefeitura de Linhares.

A partir daí, a comissão vai encaminhar à Petrobrás um pedido de informações com as reivindicações dos prefeitos.

“Nosso objetivo é criar um elo de entendimento as cidades produtoras e a Petrobras, para que possamos ao menos chegar a um consenso”, afirmou.

De acordo com Marcelo, a comissão foi criada para debater, propor sugestões e fiscalizar as ações inerentes à exploração, produção e prospecção de petróleo e gás, bem como acompanhar os cálculos e critérios da distribuição dos royalties de petróleo para o Estado e seus municípios.

“A nossa intenção é trazer para a Assembléia Legislativa o debate sobre os impactos do “boom” do petróleo em nosso Estado e garantir um desenvolvimento sustentável para os municípios, priorizando a melhoria na qualidade de vida, principalmente das populações mais carentes”, frisou.

Agência Trabalhista de Notícias