Presidente do PTB apela aos líderes que apoiem projetos para aposentados

PTB Notícias 26/05/2009, 12:28


Leia abaixo os comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicados em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com/) www.

blogdojefferson.

com) nesta terça-feira (26/5);Apelo de presidente Faço um apelo aos líderes do PTB no Congresso: que orientem as bancadas a votar a favor da equiparação do valor pago aos aposentados com o salário mínimo e no fim do fator previdenciário.

Esta é uma bandeira de muitos petebistas – Arnaldo, Zambiasi, Romeu Tuma – que o partido chancela.

Não somos uma mera associação de interesses, mas um partido, e vamos à luta! Além do mais, foi o próprio Lula que admitiu à Época: “A Previdência não tem déficit.

.

.

, o Tesouro joga nas costas da Previdência os gastos com a Seguridade Social”.

Estado mínimo é só para aposentado?LegadoO governo que aponte sua tesoura para outras áreas na hora de reduzir custos a fim de cobrir o déficit, não da Previdência (como o próprio presidente já admitiu), mas do Tesouro.

É dever da sociedade proteger aqueles que ajudaram, e continuam colaborando, mesmo depois de aposentados – cuidando das famílias, dos mais jovens, inclusive com apoio financeiro, e com sua experiência -, a construir o Brasil.

A vigília continuaA mobilização de entidades de aposentados nesta segunda-feira no Congresso Nacional foi o fator decisivo para que os presidentes da Câmara e do Senado definissem datas para colocar em votação matérias de interesse dos pensionistas.

Mas os aposentados ainda não podem comemorar nem ficar menos vigilantes, porque nem sempre esses compromissos são cumpridos por conta da pauta eternamente bloqueada por medidas provisórias.

As entidades que fiquem alertas, porque estão querendo jogar pro segundo semestre os projetos que beneficiam os beneficiários da Previdência.

E se o Congresso já está em ritmo lento por conta do calendário eleitoral, imaginem como vai ser daqui a alguns meses.

A verdade é que o governo sabe que hoje sofreria derrotas tanto no veto do presidente Lula ao reajuste de 16,67% concedido aos aposentados, como na extinção do fator previdenciário.

Com sua base desarrumada, tudo o que o Palácio do Planalto quer no momento é ganhar tempo para recolocar seu rolo compressor novamente nos trilhos.