Presidente do PTB de Bicas (MG) lamenta assédio de outras siglas

PTB Notícias 16/10/2007, 15:13


O presidente do PTB de Bicas (MG), vereador Geraldo Magela, lamentou nesta segunda-feira a assédio de alguns partidos a nomes de outras legendas, até mesmo desrespeitando coligações feitas durante a última eleição municipal.

“Quero dizer que lamentamos a saída de expressivos nomes que faziam parte do PTB.

Alguns justificaram a desfiliação e foi pelo partido compreendida.

Entretanto não compreendemos como o PPS inclui em sua relação o nome do senho Marcos Vinicios sem que este tenha sequer oficializado o fato por meio de requerimento próprio.

É lamentável o procedimento do PPS, grupo político cujos seus membros marcharam com o PTB nas última eleições”, afirmou o vereador.

Magela afirmou ainda que entende que não há determinação legal para a desfiliação além da solicitação formal.

“Mas acredito que, moralmente, seja necessária uma justificativa, mesmo que seja para dizer que foi uma decisão de foro intimo”, esclarece.

Porém, o petebista afirmou que, por outro lado, apesar da perda considerável de alguns nomes, o PTB foi reforçado no município.

“Nos reforçamos ao trazer novos nomes para a política local, buscando não assediar de forma desenfreada nomes de outras agremiações, mas inserindo no grupo novos nomes, como o do renomado fisioterapeuta Celso Lopes Madeira, do senhor Nilo Cezar Gonze, Gabriel Maroco Moreto Cunha, José Maria Marciel Pires, Haroldo da Silva Mendes, Carlos Martinho, Lindalva Dias Ribeiro, Adailtom Carlos Cunha, Nielsen Henriques Zacarias, Renato Soares e João Luiz Oliveira Maroco”, listou o petebista.

Magela encerrou sua manifestação afirmando que agindo deste modo, o PTB crê firmemente que está contribuindo para cumprir seu papel de vanguarda na construção das bases da cidadania.

“Não posso deixar de dizer uma palavra de agradecimento aos 205 nomes que hoje compõem o PTB local pois, sem vocês, o PTB não alcançaria seus objetivos.

Sem vocês o PTB não se faria presente com duas cadeiras nesta casa Legislativa”, finalizou.

Agência Trabalhista de Notícias