Presidente do PTB de Tocantins destaca importância da amazônia

PTB Notícias 6/09/2007, 8:18


O presidente regional do PTB em Tocantins, deputado estadual José Geraldo, usou a tribuna na sessão vespertina desta quarta-feira (05/09), para defender políticas de preservação e desenvolvimento auto-sustentável da amazônia tocantinense.

Motivado pelo dia da amazônia, que é comemorado neste dia 05, o parlamentar afirmou que apesar de ser uma região composta de grande biodiversidade, infelizmente a amazônia também é sinônimo de pobreza e miséria.

José Geraldo também enumerou os pontos que traduzem a realidade amazônica dos últimos anos, como os baixíssimos índices de desenvolvimento humano (IDH), o avanço do desmatamento, o tráfico de animais e a bio-pirataria, que se tornou uma das maiores preocupações brasileiras.

“Esta amazônia de contrastes, tão rica e pobre, esboça um cenário presente de apreensão, cautela e muita atenção de nossa parte.

Cientes que somos desta responsabilidade cívica, gostaria de lembrar às nossas autoridades que as políticas públicas dirigidas a esta região deve ser melhor tratada” destacou José Geraldo.

Para a amazônia tocantinense, o petebista sugeriu uma política de fomento à pesquisa cientifica e estudos sistêmicos, com informações sobre a fauna e a flora, das regiões que englobam o Parque Nacional do Araguaia e o Parque Estadual do Cantão.

Segundo ele é preciso conhecer para preservar, além de ser um dever dos gestores e representantes públicos gerarem conhecimento e competência para lidar com as referidas questões.

Ele ainda citou o guaraná, o açaí, o cupuaçu e a castanha, como referência aos diversos alimentos que a região amazônica oferece ao resto do país, além dos diversos remédios e princípios ativos capazes de erradicar inúmeras doenças.

Durante seu pronunciamento, José Geraldo ainda ressaltou a questão da cultura dos povos amazônicos e de suas necessidades sócio-ambientais.

“Temos que conhecer as demandas de nossos silvícolas e lutar por uma política estadual preservacionista, a fim de combater o flagelo causado pelas queimadas e pela utilização irregular do solo e da água” reforçou.

Agência Trabalhista de Notícias