Presidente do PTB presta solidariedade às vítimas do acidente da TAM

PTB Notícias 18/07/2007, 14:25


O Presidente Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro, Roberto Jefferson, prestou sua solidariedade os familiares das vítimas do acidente com o avião da TAM, ocorrido no início da noite da última terça-feira, 17/7, no aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

O Presidente do PTB solidarizou-se com a dor das famílias, e cobrou do governo e das autoridades do setor aéreo explicações para o acidente, assim como afirmou que irá cobrar diariamente soluções para o caos na aviação brasileira.

Leia abaixo o comentário do Presidente do PTB, Roberto Jefferson:SolidariedadeO Brasil chora junto com as famílias – desesperadas – que lamentam a morte dos seus.

Como aquela mãe que, ao saber que perdera seus dois filhos – um de 12 e um de 17 -, desabou no chão do aeroporto.

É grande a vontade de fazer alguma coisa por elas, embora não saibamos o quê.

De minha parte, prometo cobrar aqui, neste blog, diariamente, explicações e soluções que esclareçam as causas deste que é o maior acidente da aviação brasileira.

Nossa solidariedade a todas elas.

Investigação serena, mas célerePode até ser que o acidente com o avião da TAM seja tão-somente um acidente, uma fatalidade.

Mas calejados pelo agora segundo maior acidente da história brasileira – a queda do Boeing da Gol – todos já esperam uma conjunção interminável de problemas e erros.

No acidente anterior, porém, participaram os pilotos americanos, os controladores de vôo, o sistema anticolisão, o rádio, e os radares, com seus buracos negros.

Tudo contribuindo, de forma mais ou menos decisiva, para a colisão entre os dois aviões.

Ah, se apenas um desses fatores fosse diferente.

.

.

Há 10 meses acompanhamos, pela TV, ou ao vivo, penando em aeroportos, o nosso sistema aéreo se desmanchar no ar.

E parece difícil acreditar que este caos não tenha, em nada, contribuído para a atual tragédia.

A investigação é complexa e não surgirá dela nenhuma resposta milagrosa.

Isto o acidente da Gol já nos mostrou.

No final poderá surgir um trágico erro do piloto ou um inevitável defeito mecânico.

Pode ser simples assim, sem que Congonhas, a chuva e a crise entrem nesta conta (certamente entram em outras contas pendentes).

Assim, é preciso esperar.

Também é preciso investigar de forma serena, mas célere.