‘Pretendemos expandir o sistema de monitoramento no PI’, diz Fábio Abreu

PTB Notícias 13/10/2015, 9:21


O secretário de Segurança Pública do Piauí, Fábio Abreu (PTB), participou ao vivo, neste fim de semana, do programa Agora, da Rede Meio Norte, onde falou sobre o sistema de monitoramento, segurança pública e ações policiais no Piauí.

Leia abaixo os principais trechos da entrevista.

Sistema de monitoramento”Nós estamos pretendendo expandir o sistema de monitoramento.

O nosso sistema instalado na zona norte de Teresina, mais precisamente no Parque Lagos do Norte, tem nos trazido bons resultados no combate à criminalidade.

As pessoas que necessitam de imagens, principalmente no que envolve eventuais situações de arrombamentos, por exemplo, nós temos passado nessas imagens para a Polícia Civil.

Nosso principal objetivo é evitar este tipo de ação criminosa para não precisar repassar.

Para isso, estamos intensificando ações, com aumento dos policiais que fazem esse trabalho.

Nós, dentro das possibilidades direcionadas a policiais militares, estaremos fazendo esse pagamento aos policiais que terão esse acompanhamento durante 24 horas.

Aproveitando o fato de vamos instalar na Vila Jerusalém, iremos dividir e utilizar esses recursos que estão sendo destinados.

“Esse serviço complementa as ações dos guardiões?”Sem dúvidas que sim, pois sempre aparecem empresas que fazem esse contrato, nós estamos procuramos indicar que dentro do sistema que eles estão propondo e nós contratando, que haja essa relação, interligação.

Então, nosso objetivo é fazer esse relacionamento de imagens do que nós temos na Polícia Militar, prefeitura, Sistema Lagos do Norte e no que nós estaremos contratando.

Nós vamos iniciar, pelo bairro Dirceu, vamos passar a ter esse monitoramento por meio de emendas parlamentares.

E procurando recursos do Tesouro estadual.

O próprio governador ordenou esses investimentos.

No entanto, há toda uma burocracia quando envolve o uso dessas tecnologias.

“De onde virão recursos para o fundo que financiará a segurança?”O fundo é fundamental e nós temos alguns recursos.

A Secretaria Estadual de Segurança, por exemplo, tem uma receita com arrecadação própria e possui taxas e que podem ser utilizadas para esse fundo.

Além disso, o governador destinou uma modificação que ele fez na composição do combustível, então vai gerar recursos com cobrança de ICMS sem onerar para a população.

Estamos com problema a nomenclatura, porque imposto não se poderia colocar diretamente no fundo.

Além disso, há a possibilidade de convênios.

Com a criação do fundo, teremos uma conta destinada para a secretaria.

Questão de montante não temas quantidade.

Cerca de 20% dos fundos será destinado ao sistema prisional.

Nós entendemos que a segurança pública depende da quantidade de vagas no sistema que precisa ter essa relação e por isso incluímos a Secretaria de Justiça.

“Boletim de Ocorrência na viatura”A nossa preocupação é com a população.

A população precisa de atendimento digno.

Quem procura uma delegacia, por exemplo, já vai fragilizado.

Nós procuramos implantar algo que já existe em outros estados e que vai ajudar a população daqui.

Nós sabemos da atribuição dos policiais e delegados.

Nós só precisamos que eles façam seu papel.

O papel deles ao receber a ocorrência é investigar.

Eu tenho certeza que qualquer policial que adquiriu esse trabalho se sente mal quando não o faz.

Policial Civil e Militar farão sua obrigação, por isso que entra essa questão de serviços que podem ser feitos através do uso das tecnologias.

” Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal Meio NorteFoto: Divulgação