“Problema da saúde no Brasil não é só falta de dinheiro, mas a corrupção”

PTB Notícias 11/09/2011, 21:31


O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) foi à tribuna do Plenário, na última sexta-feira (09/09/2011), para criticar a possível criação de um tributo semelhante à extinta CPMF para financiar a saúde no país.

O parlamentar lembrou que, no período de 1996 a 2007, época em que a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) estava em vigor, foram arrecadados R$ 209 bilhões, no entanto, na visão dele, a saúde pública brasileira não melhorou e os trabalhadores assalariados foram os mais prejudicados.

– O problema é a corrupção.

Pôr mais dinheiro na saúde sem erradicar a corrupção é o mesmo que fazer transfusão de sangue num paciente sem estancar a hemorragia.

Com esta roubalheira, não adianta.

Uma nova CPMF só iria melhorar a saúde financeira dos corruptos – analisou.

Mozarildo sugeriu outras formas de financiar o setor sem cobrar mais tributo da população, como a destinação de parte do dinheiro arrecadado pelas loterias exploradas pelo Governo, a taxação pesada de produtos como álcool e cigarro e a implementação do Imposto sobre Grandes Fortunas (IGF), já previsto pela Constituição da República.

Para Mozarildo Cavalcanti, a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), virou um foco de corrupção e deve ser extinta, caso nada seja feito para contornar o problema.

– Não sou contra a Funasa, mas do jeito que está não dá para continuar.

É preciso profissionalizar a instituição, que tem que ser um órgão técnico e não político.

Até porque existem bons profissionais na fundação.

Educação O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) concordou e lembrou que problema semelhante ocorre na área da educação.

Ele sugeriu também a tributação mais pesada de artigos supérfluos de alto luxo consumidos por uma “minoria rica”.

– Se chover dinheiro no quintal de uma escola, vai virar lama porque o problema é saber como administrar.

Um novo imposto, só se forem esgotadas todas as outras alternativas – opinou.

Fonte: Agência SenadoFoto: Geraldo Magela