‘Problemas da saúde não se resumem à falta de médicos’, alerta Mozarildo

PTB Notícias 27/09/2013, 15:24


O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), relator-revisor da Medida Provisória 621/13, que cria o programa Mais Médicos, do governo federal, acredita num amplo entendimento para a votação da matéria na próxima terça-feira (1/10/2013).

Em pronunciamento no plenário, o parlamentar advertiu que o problema da saúde pública brasileira não se resume à carência de profissionais, mas abrange falta de infraestrutura e de recursos técnicos.

Por isso, na opinião dele, a MP não pode tratar apenas de questões emergenciais e deve incluir questões permanentes em relação à saúde.

O senador informou já ter apresentado sugestões, que foram acatadas pelo relator.

Entre elas, a maior exigência para autorização, reconhecimento e renovação de cursos superiores de medicina.

“Duplicar as vagas em universidades, por exemplo, implica mais professores, mais recursos, mais laboratórios.

Vamos ter mais médicos menos capazes?”, indagou.

Mozarildo negou sentimento de xenofobia em relação aos profissionais estrangeiros e defendeu a melhor formação dos que estudam e trabalham no Brasil.

“Vamos aceitar a situação de emergência, mas vamos trabalhar na formação dos médicos brasileiros.

Não tenho xenofobia.

Pelo contrário, a interiorização da medicina em Roraima se deu por convênio do governo do estado e o de Cuba.

O curso de medicina de Roraima também começou com professores cubanos”, disse.

Em aparte, o senador Valdir Raupp (PMDB-RO) disse não ver problema no trabalho de médicos de outros países, desde que os profissionais brasileiros tenham preferência.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Agência SenadoFoto: Waldemir Barreto/Agência Senado