Projeto de Arnaldo protege dono de veículo apreendido por crime ambiental

PTB Notícias 30/01/2011, 12:35


A Câmara analisa a partir da volta do recesso o Projeto de Lei 7814/10, do deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que atribui ao proprietário de veículos automotores e embarcações apreendidos por crimes ambientais a condição de fiel depositário do bem.

Segundo o texto do deputado petebista, o dono deverá manter o veículo enquanto a apreensão interessar ao processo penal ou administrativo.

A proposta altera a Lei de Crimes Ambientais (Lei (http://www.

planalto.

gov.

br/ccivil_03/Leis/L9605.

htm” target=”_blank) 9.

605/98), que determina a apreensão dos produtos e instrumentos utilizados na prática de crimes contra o meio ambiente.

Serviços terceirizadosO autor da proposta argumenta que, atualmente, o proprietário que tem seu veículo apreendido e posteriormente liberado, permanece obrigado a pagar o custo de diárias referentes ao período em que o bem ficou apreendido mesmo que totalmente inocentado no processo.

“Como os serviços de guarda desses bens não raro são terceirizados, os preços cobrados podem se tornar abusivos”, afirma.

O Decreto (http://www.

planalto.

gov.

br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Decreto/D6514.

htm” target=”_blank) 6.

514/08, que regulamenta a Lei dos Crimes Ambientais, já estabelece a possibilidade de que os bens apreendidos fiquem, excepcionalmente, confiados a fiel depositário, até o julgamento do processo administrativo.

“Com este projeto de lei, pretende-se garantir que, no caso dos veículos automotores e embarcações, a norma geral seja a nomeação do próprio dono do bem apreendido como fiel depositário”, argumenta Faria de Sá.

fonte: Agência Câmara