Projeto de Daniel Rocha prevê reordenamento das calçadas em Arapiraca

PTB Notícias 14/04/2009, 9:15


A exemplo do que se repete na maioria das cidades brasileiras, os problemas urbanos também estão presentes em Arapiraca (AL) e, muitas vezes, causam sérios transtornos à população.

Na cidade, diversos espaços públicos são utilizados para atender, exclusivamente, aos interesses privados e comerciais, deixando de lado a segurança e o conforto do pedestre.

Um desses espaços públicos são as calçadas.

Baseado nesta análise, o vereador Daniel Rocha (PTB) propôs projeto de lei que tem como objetivo iniciar um processo de reordenamento nas calçadas de Arapiraca.

O reordenamento se constitui na garantia de que o cidadão possa contar com mais comodidade na hora transitar por esses locais, livres de obstáculos, equipamentos urbanos, mobiliário, floreiras e o rebaixamento de guias para acesso de veículos.

Segundo o vereador, as calçadas de Arapiraca apresentam muitos obstáculos para os pedestres que, na maioria das vezes, são obrigados a transitar pelo meio da rua para desviar de materiais de construção, metralhas, cadeiras, mesas, ambulantes, além dos obstáculos naturais.

“É quase impossível o cidadão sair de casa e chegar ao local desejado somente por cima da calçada.

Em vários lugares as pessoas têm que descer para a rua, por onde passam os carros, a fim de desviarem dos obstáculos”, disse Daniel.

O vereador defende ainda que a medida da largura das calçadas deva ser superior a 1,20 metro.

“Um metro e vinte centímetros não oferece conforto nem segurança aos pedestres.

Muitos estabelecimentos comerciais tomam para si o espaço da calçada, deixando o restante para os pedestres.

Logo, aquele pequeno espaço estará sempre do lado da rua e invariavelmente quando mais de duas pessoas estiverem passando, uma estará no meio-fio, sobre a guia ou na sarjeta, com sério risco à sua segurança”, disse Daniel Rocha, que completou: “Esta largura não permite, inclusive, a passagem de um casal de mãos dadas, uma mãe com dois filhos, um grupo de adolescentes que sai da escola e, inclusive pessoas portadoras de necessidades especiais”.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Jornal Alagoas em Tempo