Projeto de Deley proíbe benefício para atleta flagrado em exame antidoping

PTB Notícias 19/11/2013, 13:04


Os senadores da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovaram nesta terça-feira (19/11/2013), em caráter terminativo, (http://www.

senado.

gov.

br/atividade/materia/Consulta.

asp?Tipo_Cons=6&orderby=0&Flag=1&RAD_TIP=OUTROS&str_tipo=PLC&txt_num=91&txt_ano=2012″ target=”_blank) o projeto (PLC 91/2012) do deputado Deley (PTB-RJ) que modifica a lei que instituiu a Bolsa-Atleta para incluir entre os requisitos necessários para o esportista pleitear o benefício não ter recebido resultado positivo de exame antidoping nos dois anos anteriores.

O projeto ainda terá que passar por um turno suplementar de votação na comissão, e se for aprovada, terá que retornar à Câmara.

O Bolsa-Atleta é um benefício do governo federal para esportistas de alto nível que não possuem patrocínio.

O valor mensal varia de R$ 370, pago a atletas-estudantes, até R$ 3.

100, concedido aos olímpicos e paraolímpicos.

O objetivo é dar condições para que eles se dediquem aos treinamentos e obtenham melhores resultados nas competições.

No entanto, a proposta do deputado Deley só permite a concessão do Bolsa-Atleta a quem não tenha violado, por no mínimo dois anos, nenhuma das regras da Convenção Internacional contra o Doping nos Esportes.

De acordo com o Ministério do Esporte, o programa Bolsa-Atleta conta hoje com mais de 4.

200 bolsistas.

Praticamente todos os atletas paraolímpicos e cerca de 40% dos olímpicos que vão a Londres recebem o benefício.

Em seu projeto, Deley disse considerar que a regra de o esportista não ter sido pego em teste antidoping já deveria estar entre os requisitos desde a aprovação da lei da Bolsa-Atleta.

Para o senador Alvaro Dias, relator do projeto na comissão, o projeto do deputado petebista Deley “enquadra-se dentro dos princípios da ética desportiva e eliminação das fraudes esportivas”.

Agência Trabalhista de Notícias (ELM), com informações da Agência Câmara Notícias e Agência Senado