Projeto de Henrique Arantes regulamenta jogos virtuais como prática desportiva

PTB Notícias 23/05/2019, 8:23


Imagem Crédito: Divulgação

Membros da Comissão de Constituição, Justiça e Redução (CCJ) da Assembleia Legislativa de Goiás aprovaram, na terça-feira (21), o parecer favorável do deputado Hélio de Sousa (PSDB) ao projeto de lei que regulamenta os jogos virtuais como prática desportiva no Estado. Autor da proposta, o deputado Henrique Arantes (PTB) comemorou o feito, o qual considerou ser um grande salto para valorização da atividade no Estado.

“É uma prática que merece reconhecimento, assim como o xadrez. Temos em Goiás um segmento que movimenta inúmeros investimentos e até hoje ainda era considerado apenas como passatempo. Mas os e-sports há muito já não é somente isso. Competições de jogos virtuais, em outros países, geram premiações milionárias. Um campeonato, por exemplo, premiou a equipe vencedora com US$ 22,5 milhões”, enfatizou Arantes.

Para o parlamentar, o fundamental para o crescimento dos jogos eletrônicos em Goiás é permitir o fomento por meio de incentivos e até mesmo patrocínios e financiamentos públicos. Ele citou que o mercado está crescendo e atrai grandes investidores como o ex-jogador Ronaldo Fenômeno. Além disso, o petebista acredita na necessidade de se formar confederações, associações desportivas que possam difundir a atividade em competições regionais, nacionais e internacionais.

Henrique Arantes considera ainda que Goiás não pode ficar para trás em relação ao mundo globalizado. “Essa é mais uma oportunidade de inserirmos nossos competidores no mercado internacional. Hoje em dia existem times que contratam e brigam por jogadores de outros times. É um esporte que promove interatividade entre os praticantes. Seja na internet ou fora dela, os jogos eletrônicos incentivam trabalho em equipe e estimulam o raciocínio lógico entre crianças, jovens e adultos”, pontuou.

Com a aprovação na CCJ, o projeto seguirá para o plenário a fim de nova deliberação e então será encaminhado para avaliações nas comissões temáticas referentes ao teor de sua propositura. No fim, caberá ao governo estadual sancionar a matéria. Se aprovada, começará a valer na data de sua publicação.

Com informações da Assembleia Legislativa de Goiás