Proposta contra ações de bullying nas escolas volta a ser discutido

PTB Notícias 11/04/2011, 17:19


A Comissão de Educação do Senado voltou a discutir o projeto do senador Gim Argello, do PTB do Distrito Federal, apresentado no ano passado, de incluir na Lei de Diretrizes e Bases da Educação a determinação de que será dever da escola promover ações contra o bullying.

A proposta retorna as principais pautas da Comissão com o massacre na Escola Tasso da Silveira, no Rio de Janeiro, na semana passada, onde Wellington Menezes de Oliveira matou 12 crianças e deixou 13 feridos.

“Alunos que são obrigados a trocar duas ou três vezes de escola por causa desse Fenômeno Bullying.

Isso constrange as pessoas, agride as famílias.

Isso não pode estar acontecendo, não deve acontecer”, cobrou o parlamentar, preocupado com o aumento de notícias sobre jovens que sofrem agressões em instituições de ensino do país.

Suspeita-se que Wellington Menezes teria sido vítima de bullying quando era aluno do colégio.

“O sofrimento da vítima se prolonga até que em um determinado momento, ela não suportando mais, há uma tendência muito grande de ela explodir”, explica a especialista Cleo Fante.

Dois projetos sobre violência em instituições já foram aprovados pela Comissão de Educação e aguardam votação na de Constituição e Justiça.

Ambos, porém, não citam diretamente o bullying.

Um deles, de Marisa Serrano, do PSDB de Mato Grosso do Sul, autoriza o governo a criar um sistema para combater a violência escolar, e prevê a instalação de um telefone para receber denúncias.

O outro, de Cristovam Buarque, do PDT do DF, a criação da Agência Federal para a Coordenação da Segurança Escolar, que fiscalizaria e cobraria ações para tornar a escola um ambiente mais seguro.

Agência Trabalhista de Notícias (Felipe Menezes)