PTB anunciará candidato à prefeitura de SP no mês de junho, diz Campos

PTB Notícias 22/05/2011, 9:31


Em entrevista exclusiva ao DCI, o presidente estadual, secretário-geral nacional e Líder da Bancada do PTB na Assembleia paulista diz que o partido terá 500 candidatos majoritários no Estado em 2012, inclusive na Capital, e comenta o processo sucessório de 2014.

PTB vai lançar até o dia 15 de junho seu candidato à Prefeitura de São PauloDCI – 20/5/2011 – Anderson PassosO partido aposta em renovação e opta por perfil sem mandato.

A legenda quer concorrer em 500 municípiosEntre os 500 candidatos a prefeito dos 645 municípios do Estado de São Paulo que o PTB-SP pretende lançar para as eleições em 2012, a legenda paulista tem até o dia 15 de junho para escolher o nome do candidato petebista para a Capital, entre três já cogitados pelo partido.

A informação é do presidente e líder da legenda no Legislativo paulista, deputado Campos Machado, que concedeu entrevista exclusiva ao DCI.

Apesar de o partido ainda não ter um nome definido, de acordo com Machado, já uma condição: não ter cumprido nenhum mandato político, pois vão apostar em renovação.

“Ainda não posso dizer o nome do candidato, mas temos de decidir até 15 de junho, para darmos andamento ao projeto, audacioso, de lançar 500 candidatos a prefeito e vice no Estado.

Queremos pessoas de bem no partido.

Os bons se omitem”, justificou.

Questionado se entre os postulantes à prefeitura de São Paulo estaria o presidente da seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), Luiz Flávio Borges D’Urso, Machado despistou.

“Ele [D’Urso] é meu amigo, mas nem é filiado ao PTB.

Em compensação, nunca ocupou um mandato político.

Mas, por enquanto, não temos nada definido.

Reeleição estadualMachado disse que aposta, assim como todo o diretório paulista do PTB, na candidatura à reeleição do governador Geraldo Alckmin, justificando que as eleições de 2014 serão muito difíceis por conta da mobilização já em curso do PT, apoiada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para que os petistas sejam alçados ao Palácio dos Bandeirantes – sede do governo paulista.

“Antes de reeleger a Dilma, o Lula faz campanha em São Paulo, onde também quer eleger o governador.

Ele disse pessoalmente, em reunião em Osasco, que tem esses dois objetivos.

“”Não subestimem o Lula.

Acho que o Alckmin vai ter uma eleição difícil em 2014.

Vai ser a campanha mais difícil de todas”, previu.

Sem citar nomes, Machado lembrou que na própria chapa de Alckmin, em 2010, houve quem trabalhasse pelo segundo turno, daí a pequena margem de votos da vitória conquistada já no primeiro.

“Quase fomos para o segundo turno com pouca margem de votos porque parceiros nossos passaram a trabalhar forte para isso”, destacou.

Fonte: DCI – 20.

5.

2011, pág.

A5Reproduzido pelo site do Diretório do PTB de São Paulo