PTB de Bauru convida Fernando Monti para concorrer como vice-prefeito

PTB Notícias 21/02/2008, 9:56


O médico Fernando Monti foi convidado pela cúpula do Diretório Municipal do PTB de Bauru para ser candidato a vice-prefeito do vereador Antônio Garms.

Monti, que é presidente do PR, ainda não respondeu, mas disse ontem ao jornal BOM DIA Bauru ter ficado “lisonjeado” com o interesse do PTB.

“Claro que estou feliz, mas falta conversar muito ainda.

Temos que amadurecer a idéia”, afirmou.

O presidente do PTB, Ricardo Oliveira, é mais otimista.

Diz que a possibilidade de ter o PR em uma aliança é real.

Sobre Monti, fala que as conversas estão “adiantadas”.

“O PTB fez o convite de forma oficial para ele ser o nosso candidato a vice-prefeito.

Agora temos que esperar, mas as perspectivas são muito boas”, resumiu Ricardo.

Em 2004, Monti também disputou como vice na chapa do candidato derrotado à prefeitura, Caio Coube.

Médico, Monti é irmão do deputado federal Milton Monti (PR–SP), de São Manoel, que ocupa um lugar de destaque na liderança do governo na Câmara.

Além disso, ele atende o perfil desejado pelo PTB: não é um político com passado questionável, é jovem e, principalmente, pertence a uma legenda aliada dos governos estadual e federal, assim como os petebistas.

“Entendemos que isso irá ajudar muito Bauru.

Teremos bom trânsito tanto no governo José Serra (PSDB) como com o Lula”, acredita o presidente do PTB.

“Além do que o PR hoje ocupa um ministério importante (Transportes) e teremos um ótimo trânsito com o Milton”, completa.

TucanosFernando Monti admite que também conversou sobre uma possível aliança com o PSDB, mas disse que as negociações não avançaram porque o candidato tucano, Caio Coube, revelou não ter interesse em refazer a dobradinha.

“Eles que disseram que gostariam de ter outra opção e eu respeito”, fala.

Questionado se isso o deixa mais perto do PTB, Monti admite que sim.

“É evidente que isso influencia e atrai.

Mas é só isso que vai fazer o PR decidir? Não, mas é lógico que é um ponto positivo”, concluiu.

O PR não descarta lançar candidatura própria, mas o próprio Monti diz que essa possibilidade “é difícil”.

Caso a aliança entre PTB e PR seja realmente fechada, o candidato a prefeito Antônio Garms terá que conviver com um dos seus maiores inimigos políticos durante a campanha: o ex-prefeito Nilson Costa.

Filiado ao PR, Nilson já disse que gostaria de participar das eleições municipais, mas ainda não sabe se concorrerá a algum cargo público.

“Não estamos falando em nomes.

Agora a conversa é entre presidentes, no caso eu e o Fernando.

Mas não há problema.

O Garms olha para frente.

O passado já foi”, minimiza o presidente do PTB, Ricardo Oliveira.

Fernando Monti também não entra nessa seara.

Diz que o PR tem vários quadros importantes e com condições de ser indicado como candidato a vice-prefeito.

O BOM DIA procurou Garms ontem, mas ele não foi encontrado.

Mas como o próprio Ricardo disse, ele está ciente das conversas com o PR.

Fonte: Bom dia Bauru