PTB deve apoiar candidatura da presidente Dilma Rousseff

PTB Notícias 25/09/2013, 11:59


De acordo com o jornal Valor Econômico desta quarta-feira (25/9/2013), o PTB apoiará a candidatura à reeleição da presidente da República, Dilma Rousseff.

O ex-deputado Roberto Jefferson (RJ), presidente licenciado do partido, deu seu aval às articulações conduzidas pelo presidente em exercício Benito Gama (BA), vice-presidente de governo do Banco do Brasil.

Para o PTB, pode ser a indicação de Benito Gama para o Ministério da Integração Nacional, cargo que coube ao PSB na configuração eleitoral da chapa de Dilma nas eleições em 2010.

Ainda de acordo com o diário:”Para o PT e Dilma Rousseff, a formalização do apoio do PTB significaria mais 1min15s de tempo de televisão para a chapa a ser formada pela presidente.

O PTB elegeu 23 deputados e tem sete senadores.

Com duas dezenas de deputados, o PTB pode facilmente preencher a lacuna deixada pelo PSB (24 deputados), caso se confirme a candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à Presidência.

Na eleição de 2010, uma dezena de partidos integrou a coligação dilmista.

O PTB conversa desde maio com a presidente Dilma Rousseff e com o presidente do PT, deputado Rui Falcão.

Desde essa época o governo acenou com a possibilidade de um ministério, “mais para a frente”.

À exceção de dois Estados, o PTB promete integrar os palanques de Dilma.

Também prepara palanques próprios que apoiarão Dilma.

Em Tocantins, por exemplo, deve filiar o ex-senador Eduardo Siqueira Campos (PSDB), até o dia 5, prazo final de filiação para quem vai concorrer às eleições.

Os dois Estados problemáticos são Minas Gerais, onde o PTB está com Aécio Neves (PSDB), e Pernambuco, onde a candidatura própria do senador Armando Monteiro aguarda a definição da candidatura de Eduardo Campos.

Na Bahia, o PTB já decidiu apoiar um auxiliar de Jaques Wagner (PT), o secretário de governo Rui Costa.

No Rio de Janeiro, terra de Roberto Jefferson, o palanque do PTB será o do candidato do governador Sérgio Cabral.

Em Mato Grosso, a ex-senadora do PT Serys Slhessarenko será a candidata ao governo do Estado pelo PTB.

Ela também não terá dificuldades para apoiar Dilma.

Sua dificuldade com o PT é local.

Serys levou quase todo o PT de Mato Grosso para o PTB.

O PT, de início, demonstrava um certo desdém para o ingresso dos petebistas na coligação.

A situação mudou entre maio e junho, quando Dilma despencou 30 pontos nas pesquisas de opinião pública.

A articulação do núcleo de campanha da presidente não é só no sentido de conseguir mais tempo de TV, mas também evitar que os outros consigam essa fatia do bolo do horário eleitoral gratuito.

O PTB tenta derrubar o favoritismo do PMDB para ocupar o Ministério da Integração Nacional.