PTB discute no Paraná alianças e candidaturas para as eleições de 2014

PTB Notícias 25/11/2013, 18:28


O presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro, Benito Gama, participou, na manhã desta segunda-feira (25/11/2013), em Curitiba, do Encontro Estadual do diretório do PTB no Paraná.

O encontro, que aconteceu no Hotel Bourbon, reuniu correligionários paranaenses do PTB, prefeitos, vereadores, militantes, representantes da Juventude do PTB, do PTB Mulher e candidatos a deputado federal e estadual do partido.

Na pauta do encontro, o debate sobre as futuras eleições de 2014 e os rumos do partido no próximo pleito.

Ao falar no encontro, o presidente Benito Gama disse não ver incoerência em o partido apoiar a candidatura do atual governador paranaense, Beto Richa.

“Não podemos romper alianças que já existem no estado”, disse em referência a união do PTB com Richa.

Benito Gama também destacou, em conversas com jornalistas, uma provável vaga para o partido na reforma ministerial do governo Dilma, prevista para o início do próximo ano.

“É uma questão pessoal da presidente.

É como um técnico de futebol: é ele quem escala o time.

Mas o PTB se sente credenciado e qualificado para participar do governo, pois já participa da base no Congresso”, afirmou.

Eleições 2014Segundo o presidente estadual do PTB, deputado federal Alex Canziani, a reunião teve como objetivo de aprofundar diferentes temas referentes ao processo eleitoral, inclusive sobre qual deverá ser o comportamento do partido nas eleições para governador e senador: “É o nosso planejamento para 2014.

Para isso reunimos diversos pré-candidatos”, destacou.

Canziani fez um ampla exposição sobre as candidaturas majoritárias petebistas, e falou aos participantes do encontro sobre a expectativa do partido no Estado de que os petebistas façam dois deputados federais e três deputados estaduais nas eleições proporcionais.

Roberto JeffersonAinda no encontro do partido em Curitiba, o presidente nacional do PTB, Benito Gama, também comentou a possível prisão do presidente licenciado da legenda, Roberto Jefferson, um dos condenados no julgamento do mensalão.

“Somos totalmente solidários a ele.

Com certeza, a denúncia que ele fez foi extremamente importante para a política do Brasil, a expectativa é que isso se desdobre de maneira positiva”, avaliou.

Segundo o presidente, Jefferson não deve recorrer da decisão do Supremo Tribunal Federal a cortes internacionais e deve se entregar a Justiça com a ordem de prisão.

Agência Trabalhista de Notícias (ELM), com informações do jornal Gazeta do Povo