PTB Mulher de São Paulo realiza reunião visando às eleições de 2016

PTB Notícias 7/07/2015, 7:58


O PTB Mulher do Estado de São Paulo realizou, no sábado (4/7/2015), reunião com diversas lideranças.

Comandada pela presidente estadual e também presidente nacional do movimento, Marlene Campos Machado, a reunião teve por objetivo posicionar o trabalho de base para a campanha de filiação que será deflagrada em todo o país no próximo dia 14, além de discutir estratégias para o pleito de 2016.

“Estamos dentro do maior movimento de mulheres da política.

O trabalho do PTB Mulher é forte, atuante, por isso é reverenciado e reconhecido em todo o país, inclusive por outros partidos.

Mas temos que reconhecer que tudo isso foi possível, também, porque contamos com o apoio de nossa executiva e do nosso presidente [do PTB-SP, deputado estadual Campos Machado], aqui, conosco, nessa manhã, que vem incentivando e garantindo a independência ao nosso movimento”, afirmou Marlene.

Além de Campos e Marlene, compuseram a mesa as vereadoras Lúcia Ribeiro (Arujá), Juliana Feliciano (Canitar), Maria Cintra (São Lourenço da Serra) e a coordenadora-geral dos CICs (Centro de Integração de Cidadania) no Estado, Ilda Fasam.

Ao revelar a intenção do PTB de lançar candidatos a prefeito e vice em mais de 300 municípios paulistas, o presidente estadual do partido, Campos Machado, reafirmou seu tradicional posicionamento em prol da valorização das mulheres na sociedade.

“O que é que as mulheres têm de menos em relação aos homens? Nada.

Hoje, elas ocupam cargos executivos que eram privativos de homens.

Nos últimos concursos para delegados de polícia, por exemplo, tivemos mais mulheres que homens, de investigadores, tivemos mais mulheres, de escrivães, tivemos mais mulheres, no de promotoras, mais mulheres, nos de juiz, mais mulheres e por que não termos mais vereadoras?”, questionou Campos.

“Elas trabalham cuidam de filhos cuidam, são as mulheres que estão sustentando os lares, em grande parte.

Se isso acontece, por que a mulher não pode ser vereadora prefeita, vice-prefeita, deputada?”, completou.

Marlene também ressaltou que, apesar do preconceito, muitas mulheres não acreditam na própria capacidade, algo que se reflete na participação política.

“Nós, mulheres, estamos sempre nos sabotando, achando que os homens são sempre melhores.

Dentro da simplicidade, da humildade que temos, nós podemos conquistar o nosso espaço [.

.

.

] É o momento de nos empoderarmos, acreditarmos em nós mesmas, acreditarmos no nosso potencial e crer que somos capazes e podemos mudar a história do nosso país”, afirmou.

CapitalSobre a cidade de São Paulo, Campos e Marlene destacaram a importância de unir as lideranças e trabalho para que os objetivos sejam alcançados”Não é hora de recuarmos.

Com a crise que aí está, não tem lugar para covardes (homens e mulheres).

Vamos fazer um trabalho como nunca havíamos feito hoje [.

.

.

] Não tem mais essa história de andar no vagão, vamos andar na máquina.

Ou piloto ou copiloto.

Se nós sempre imaginarmos que o nosso lugar é no fundo, depois de todos outros, acabou a vida”, disse Campos.

Marlene focou no diálogo para entender os anseios dos cidadãos: “Nós temos um projeto para 2016, então vamos sentir e focar em saber o que nossa população está precisando, entender a insatisfação”.

A presidente do PTB Mulher também teceu críticas à atual situação municipal: “Na educação, na saúde.

.

.

ainda morrem pessoas nas filas dos hospitais, não temos creches, as mulheres precisam trabalhar e não tem creche para deixar suas crianças.

E para completar ainda estão cogitando fechar a Avenida Paulista, local em que temos 16 hospitais no entorno”, completou Marlene ao dizer que todos os que desenvolvem um trabalho político são responsáveis por conscientizar a população sobre os erros de administrações atuais.

Ao final, Campos Machado adiantou ainda as palavras-chave que o partido usará na campanha: fé, esperança, dedicação e, segundo ele, “a mais forte a mais bonita palavra do mundo”, amor.

Estiveram presentes a jornalista Keila Lima, Arlete Silva (Secretária de Assistência Social do Taboão da Serra) e o vereador Silvio Itaoca (Mongaguá).

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do PTB-SP Foto: Divulgação