PTB Mulher participa de reunião do Fórum de Mulheres de Partidos

Agência Trabalhista de Notícias 21/05/2019, 18:57


Imagem Crédito: Divulgação

A presidente nacional do PTB Mulher, Graciela Nienov, representou o PTB na reunião do Fórum de Mulheres de Instâncias de Partidos, realizada nesta terça-feira (21), em Brasília. Mulheres de diversas legendas discutiram os projetos prioritários da pauta política feminina, as ações para reafirmação das posições de mulheres dentro dos partidos, a questão da distribuição dos 30% do fundo eleitoral para as candidaturas femininas, entre outros temas.

Acompanhada da ex-deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), Graciela Nienov afirmou que as reuniões são importantes para fortalecer as estratégias dos movimentos femininos na luta pela aprovação de projetos que beneficiem as mulheres.

“Todas nós que batalhamos nos nossos partidos por maior espaço e representatividade às mulheres temos a obrigação de participarmos efetivamente das reuniões do Fórum de Instâncias de Mulheres. Aqui fortalecemos nossos objetivos, definimos linhas de ações conjuntas e suprapartidárias, compartilhamos ideias, projetos, experiências. Enfim, conseguimos estabelecer uma sintonia para podermos lutar de forma mais contundente pelas pautas que beneficiam as mulheres. O PTB jamais se furtará a dialogar, a debater, a trazer para dentro dessas reuniões os apelos que ouvimos nas nossas bases de mulheres que exigem providências para combatermos a violência crescente. Nosso partido sempre esteve disposto a contribuir para a formulação de políticas que verdadeiramente tragam maior igualdade de gênero para a atividade política”, disse.

Na reunião, as mulheres debateram sobre a construção da cartilha de fomento do grupo. A cartilha apresentará detalhes da organização do movimento, assim como elencará as ações previstas para os próximos meses.

Também foi discutida a audiência que será realizada futuramente com Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), quando serão abordadas situações referentes às candidaturas laranja, e o respeito à destinação da cota de 30% para as mulheres candidatas.