PTBM se engaja em campanha mundial pela não violência contra a mulher

PTB Notícias 25/11/2013, 14:43


A presidente nacional do PTB Mulher, Cristiane Brasil, anunciou nesta segunda-feira (25/11/2013) o engajamento total do movimento na campanha dos 16 dias de luta e ativismo contra a violência que afeta as mulheres.

A campanha começa neste dia 25 de novembro, declarado pela Organização das Nações Unidas como o Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher.

Como lembra Cristiane Brasil, esta campanha pretende promover a conscientização da sociedade sobre o persistente fenômeno da violência contra a mulher, no Brasil e no mundo.

“No Brasil, a cada dois minutos, cinco mulheres são violentamente atingidas pela violência.

No ano passado, mais de seis mil mulheres foram assassinadas, o que representa uma mulher morta a cada 90 minutos.

São números estarrecedores que precisam ser combatidos por todos, principalmente porque a maior parte dessa violência acontece dentro de casa.

Essa é uma realidade inadmissível, escandalosa, que choca, apavora e revolta.

É preciso dar um basta nisso.

A nossa sociedade precisa resgatar valores de respeito ao ser humano e, principalmente, à mulher.

Não é possível aceitarmos mais tamanha brutalidade e violência em nosso País”, disse Cristiane.

O dia 25 de novembro foi declarado como Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher em homenagem às irmãs Maria Teresa, Pátria e Minerva, conhecidas como “Las Mariposas”.

Juntas, elas combateram as injustiças sociais do governo ditador da República Dominicana, Rafael Leônidas Trujillo, tendo sido brutalmente assassinadas na referida data, no ano de 1960.

Em 1991, 23 mulheres de diferentes países, reunidas pelo Centro de Liderança Global de Mulheres (Center for Women’s Global Leadership – CWGL), lançaram a Campanha dos 16 dias de ativismo com o objetivo de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo.

O período se inicia no dia 25 de novembro encerrando-se em 10 de dezembro, quando se celebra o Dia Internacional de Direitos Humanos.

Neste ano, as Nações Unidas convidam os ativistas em defesa da mulher a adotarem o laranja, cor oficial da campanha UNITE.

Na sua primeira mensagem como diretora executiva da agência da ONU para as mulheres (UN Women), Phumzile Mlambo-Ngcuka pediu à comunidade internacional que apresente “uma resposta proporcional à violência que ameaça as vidas de mulheres e meninas”.

Em sintonia com a reivindicação da dirigente das Nações Unidas, Cristiane Brasil afirmou que o PTB Mulher adotará o laranja como sua cor nestes próximos 16 dias de ativismo.

Cristiane defende que o Estado seja mais incisivo e ágil na formulação de políticas públicas, mudanças na legislação e adoção de um conjunto de novas regras e leis que inibam o chamado “feminicídio”.

“As medidas existentes têm-se revelado insuficientes para proteger as mulheres e reduzir a violência cometida.

O Estado tem-se mostrado negligente em enfrentar o problema, pois não só investe pouco como não faz planificação estratégica de enfrentamento à violência contra as mulheres.

Faltam medidas preventivas, mecanismos assistenciais e instrumentos de repressão adequados e eficazes.

Não temos visto os governos estaduais e municipais dirigindo recursos especialmente para o enfrentamento à violência contra as mulheres.

Ou o Estado brasileiro se compromete seriamente com o enfrentamento à violência contra as mulheres, ou será, com certeza, cúmplice dos crimes cometidos pela sua omissão”, afirmou a presidente do PTB Mulher.

Agência Trabalhista de Notícias (ELM)