Rachas: Sérgio Moraes afirma que lugar de corrida é nos autódromos

Agência Trabalhista de Notícias 6/11/2015, 17:16


O deputado Sérgio Moraes (PTB-RS) manifestou apoio à proposta que eleva a pena máxima, de 10 para 12 anos de prisão, nos casos de homicídio culposo (sem intenção de matar) causado por rachas no trânsito.

O projeto de lei 2872/08, aprovado pela Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, também enquadra como crime culposo os acidentes que resultem em limitações à saúde da vítima dos rachas.

“Acho a pena ideal, porque quem assiste aos rachas pode morrer – e já aconteceu – e quem pratica também morre, por estar correndo em lugares não adequados”, disse Sérgio Moraes, ao defender a construção de locais específicos onde a população, em especial os jovens, possam disputar os rachas.

“Quando eu era prefeito, construí o Autódromo Internacional de Santa Cruz do Sul (RS), onde já foram disputadas até corridas internacionais.

Sempre digo para a minha juventude: construí o autódromo porque é lá que a gente deve acelerar, e não no meio das pessoas”, afirmou.

Na opinião do deputado, os prefeitos também deveriam criar espaços para que os jovens pudessem ter o seu lazer.

“Sei que não é fácil construir um autódromo.

Porém, pode ser feita uma pista de um quilômetro – distância necessária para os rachas – com toda a segurança, com aparato de ambulância e primeiros socorros, e ali deixar a juventude brincar com seus automóveis”, sugeriu Sérgio Moraes.

O parlamentar ainda destacou que o Autódromo Internacional de Santa Cruz do Sul, concluído em 2004, foi aprovado, na época, pelas federações Brasileira e Argentina de Automobilismo.

“Tem sido dito por aí que esse autódromo é um dos mais seguros e mais emocionantes do Brasil.

Ninguém nunca morreu ali, nunca houve acidente grave, porque foi construído pensando-se na segurança”, disse Sérgio Moraes.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da assessoria da Liderança do PTB na Câmara dos DeputadosFoto: Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados