Raphael Matos cobra implantação de galeria de águas pluviais em Dourados

PTB Notícias 14/07/2014, 16:12


O vereador Raphael Matos (PTB) apresentou indicação na sessão de terça-feira (8/7/2014) da Câmara Municipal solicitando à Prefeitura de Dourados (MS) a realização de estudos visando à implantação de galerias de águas pluviais no quadrilátero das ruas Joaquim Teixeira Alves até a rua Cuiabá, Eulália Pires até a rua Joaquim Tavora.

A indicação foi endereçada ao prefeito interino Odilon Azambuja e ao secretário municipal de Infraestrutura, Jorge de Lúcia.

Conforme Raphael Matos, as obras solicitadas são consideradas de extrema necessidade pelos moradores da região, já que essas vias ainda não contam com sistema de galeria de águas pluviais, fato esse que prejudica o escoamento e a drenagem da água.

Esse problema acaba resultando na deterioração do asfalto das ruas desta região e provocando os já conhecidos transtornos nas épocas das fortes chuvas.

O vereador enfatizou ainda que o quadrilátero das ruas Joaquim Teixeira Alves até a rua Cuiabá, Eulália Pires até a rua Joaquim Tavora está situado na região mais baixa da cidade, fato que facilita a ocorrência de enxurradas e outros transtornos durante os períodos de chuva.

“Felizmente hoje podemos acompanhar diversas obras com a instalação das galerias.

No entanto, ainda temos algumas ruas que sofrem e acabam totalmente alagadas durante as grandes tempestades e o prejuízo que esse tipo de situação traz é sempre muito grande.

O objetivo maior é conseguirmos resolver esse antigo problema e eliminarmos de vez todos os transtornos das fortes chuvas”, destacou Raphael.

EnersulO vereador do PTB também apresentou indicação solicitando ao diretor-presidente da Enersul (Empresa Energética de Mato Grosso do Sul), Marcelo Rocha, a realização de estudos visando à implantação de um escritório de atendimento e arrecadação no distrito de Itahum.

Raphael Matos lembra que o distrito do Itahum, localizado a aproximadamente 65 quilômetros da sede do município e com uma população de quase 5.

000 habitantes, até hoje não dispõe de um posto de atendimento e arrecadação da Enersul.

Desta forma, a população urbana e rural do distrito, que inclui os Assentamentos Lagoa Grande com aproximadamente 154 famílias e Amparo com 60, ainda necessita se deslocar até a sede do município para obter informações e efetuar os pagamentos das contas de energia elétrica, fato que gera despesas de transporte e exige disponibilidade de tempo.

“Pela relevância da solicitação dos moradores reivindicamos que gestões sejam feitas junto à empresa para que o problema seja sanado no menor tempo possível”, concluiu Matos.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da assessoria do vereador Raphael Matos (PTB-MS)Foto: Thiago Morais/Divulgação