Regina Becker Fortunati quer instituir “Um Dia sem Carne” no cardápio de escolas estaduais

PTB Notícias 26/06/2018, 7:38


Imagem Crédito: Marcelo Bertani/ALRS

[vc_row][vc_column][vc_column_text css=”.vc_custom_1530027641193{margin-bottom: 0px !important;}”]Com o propósito de conscientizar a população dos benefícios do consumo de alimentos sem proteína de origem animal e estimular hábitos alimentares alternativos, a deputada Regina Becker Fortunati (PTB) apresentou projeto de lei que cria o programa “Um Dia Sem Carne” na rede pública estadual de ensino do Rio Grande do Sul. A iniciativa é baseada em ação desencadeada nos Estados Unidos, em 2003, propondo novas opções alimentares e estimular o debate sobre a obesidade infantojuvenil.

De acordo com a proposta, a implementação do programa ficará a cargo da Secretaria de Estado de Educação. A medida não se aplica a estudantes que, comprovadamente, por orientação médica, necessitem da proteína de origem animal em sua dieta.

A justificativa do projeto informa que estudos científicos comprovaram o impacto do consumo de carne sobre o risco de câncer de intestino grosso. O aumento de 100 gramas na ingestão diária de qualquer tipo de carne está associado à elevação de 12% a 17% do risco de câncer de cólon e reto. Já o aumento diário da ingestão de apenas 25 gramas de carne processada (embutidos) pode elevar o risco de desenvolvimento deste tipo de câncer em até 49%.

Por outro lado, estudos demonstram que populações que não consomem o produto têm redução de 14% a 35% nos níveis de colesterol sanguíneo, e a mortalidade em decorrência de doenças cardiovasculares é de 20% a 24% menor.

Regina Becker argumenta ainda que a produção animal é um dos principais fatores para a mudança climática, desmatamento, poluição e uso da água. A maioria dos animais criados para alimentação, segundo a parlamentar, passa seus dias em fazendas industriais onde seu tratamento e condições de vida são em grande parte desumanos.

“Vivemos um período de extrema crise ambiental, que vai do aquecimento global à perda da biodiversidade, incluindo as mudanças climáticas e as diversas doenças que afligem a população humana. Este projeto de lei tem por escopo contribuir para melhoria da qualidade das futuras gerações”, justifica.

Com informações da assessoria da bancada do PTB na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]