Reizo apresenta projeto que beneficia crianças com intolerância à lactose

PTB Notícias 11/03/2013, 17:47


O vereador Reizo Castelo Branco (PTB-AM) apresentou na quarta-feira (6/3/2013), na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o projeto de lei nº 047/2013, que favorece crianças que tem intolerância à lactose, e o projeto 049/2013, que ressalta a avaliação de saúde e aptidão física dos alunos matriculados nas escolas municipais da cidade que participam de competições.

O projeto 047/2013 tem como foco obrigar a distribuição regular e gratuita de leite sem lactose para crianças de até dois anos, desde que sejam carentes.

A lactose é a enzima responsável pela digestão do principal açúcar do leite.

Esse fenômeno é bem diferente da alergia.

Os sintomas da intolerância são só digestivos, enquanto os da alergia, por exemplo, podem afetar o sistema respiratório e a pele.

Normalmente os sintomas da intolerância à lactose aparecem em crianças pequenas, causando diarréia constante e interferência na digestão do leite materno, dificultando até mesmo a ingestão de fórmulas artificiais à base de leite de vaca.

O diagnóstico é feito só de forma clínica, muitas vezes, com a sugestão de eliminar por alguns dias a lactose da alimentação da criança.

O segundo projeto de lei 049/2013, que ressalta a avaliação de saúde e aptidão física dos alunos matriculados nas escolas municipais que participam do desporto competitivo.

Todos deverão passar por uma avaliação de saúde e aptidão física, por médicos, nutricionistas e educadores físicos da rede municipal.

Esse tipo de avaliação para a indicação dos exercícios físicos ajustados as modalidades desportivas vai promover mais saúde, qualidade de vida e evitar lesões que possam prejudicar o bom andamento do esporte escolhido.

O objetivo desta avaliação é diagnosticar e investigar tudo em relação às capacidades, aptidões, exames laboratoriais, exame biométrico, observados quanto à nutrição alimentar, análise no tange de força muscular, flexibilidade das articulações, composição corporal, capacidade respiratória e cardiovascular.

Isto, porque o projeto prevê o tratamento ambulatorial na rede de saúde municipal caso o aluno atleta não esteja apto a prática esportiva.

O médico e o educador físico se encarregarão da missão de avaliar periodicamente o aluno que estiver em treinamento para manter um padrão.

Com isso, a possibilidade de descobrir se ocorreram melhorias ou perdas, tanto no aspecto condicional como no físico, vai direcionar melhor tanto o profissional quanto o atleta.

Agência Trabalhista de Notícias (NM), com informações da Câmara Municipal de Manaus